INDUÇÃO DE GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE ORQUÍDEAS POR FUNGOS RIZOSFÉRICOS

  • Lilia Marques Gravina
  • Virginia Silva Carvalho
  • Gustavo Denarde Nogueira
Palavras-chave: Germinação in vitro, Fungos micorrízicos, Orchidaceae

Resumo

As orquídeas são plantas de alto valor ornamental e econômico. No Brasil o cultivo ainda é empírico, baseado em experiências pessoais e pouco em resultados de pesquisas. Na natureza, as sementes de orquídeas só germinam se associadas a fungos micorrízicos devido possuírem poucas e não mobilizáveis reservas nutricionais. Essa associação é benéfica para a nutrição da planta, principalmente em condições adversas. Informações sobre esta simbiose são fundamentais para produtores e colecionadores. Quatro isolados de fungos rizosféricos de raízes de orquídeas de orquidários comerciais serão utilizados. O experimento será montado no delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 5 x 5 onde serão testados cinco meios de cultura e os quatro isolados fúngicos mais o controle não inoculado, com 9 repetições, sendo cada uma composta por uma placa de Petri com 100 sementes. Para avaliação da efetividade da germinação das sementes, semanalmente os estádios de desenvolvimento serão classificados, sob microscópio estereoscópico, segundo notas de 0 a 6. A micorrização dos protocórmios será quantificada pelo método de Phillips e Hayman (1970). Pretende-se com este trabalho obter a definição de protocolos para produção de mudas de orquídeas in vitro inoculadas com fungos micorrízicos. As mudas micorrizadas serão posteriormente testadas em casa-de-vegetação. A bolsa de Iniciação Científica irá iniciar em 01 de junho de 2011.
Publicado
25-04-2013