FORRAGEM HIDROPÔNICA DE MILHO CULTIVADO EM BAGAÇO DE CANA-DE-AÇÚCAR, COM DIFERENTES DENSIDADES DE SEMEADURA E DILUIÇÕES DE VINHAÇA.

  • Nathália Eccard Manhães
  • Fábio Cunha Coelho
Palavras-chave: Hidroponia, Forragem, Vinhaça

Resumo

A pesquisa busca obter por meio da hidroponia, forragem para alimentação animal de alta qualidade e na quantidade desejada, porém, com valor mais econômico quando comparada à forragem convencional. Seu objetivo é avaliar a produtividade e a qualidade da forragem de milho hidropônico, cultivado em bagaço de cana-de-açúcar identificando a densidade adequada de sementes e a época ideal de colheita utilizando diferentes diluições de vinhaça como solução nutritiva. A pesquisa foi executada em casa de vegetação, na Unidade de Apoio à Pesquisa, CCTA, UENF. Utilizaram-se sementes de milho híbrido UENF 506-6, com três diferentes densidades de semeadura: 1,5; 2,0 e 2,5 kg m-² e 3 L m-2dia-1 de vinhaça diluída nas proporções de 1:15; 1:10 e 1:5 em água. Como substrato para o crescimento das plantas utilizou-se o bagaço de cana-de-açúcar. Cada unidade experimental constou de bandejas de 0,5 por 0,5 m de lado, preenchidas com bagaço de cana até altura final de 4,0 cm. O experimento foi conduzido em delineamento em blocos casualizados com três repetições. Os dados obtidos foram comparados pelo Teste de F e Tukey, em nível de 5% de probabilidade. Não houve efeito significativo (P<5%) da densidade de semeadura assim como das diluições de vinhaça sobre o comprimento da parte aérea e de raízes. O peso da matéria seca das plantas mais substrato, foi maior na densidade 2,0 kg m-². Ainda será feita a determinação de proteína bruta (PB) em laboratório. As análises fenométricas de comprimento de parte aérea e de raiz na planta de milho não apresentaram resultados significativos. A densidade de semeadura interferiu no peso da matéria seca, sendo o maior peso obtido na densidade de 2,0 kg.m-2
Publicado
26-04-2013