MICROSCOPIA ANALÍTICA DE SEDIMENTOS ESTUARINOS DO RIO JAGUARIBE, CEARÁ, BRASIL

  • Alice Maria da Silva Rodrigues
  • Martha Lima de Oliveira
  • Flávio Costa Miguens
Palavras-chave: Sedimentos, Caracterização morfológica e quimica, SEM/EDS

Resumo

O rio Jaguaribe é estratégico para o Estado do Ceará, pois garante os múltiplos usos da água a um extenso vale perenizado, e abastece parte significativa dos moradores de Fortaleza, e seu parque industrial. A espectrometria de energia dispersiva de raio-x associada à microscopia eletrônica de varredura permite caracterização de seus sedimentos e subsidia uma melhor avaliação tanto dos processos naturais como os antrópicos. Sedimentos do estuário do rio Jaguaribe, Ceará, coletados em Fortim e Aracati, utilizando-se cilindros de PVC (150X5 cm), foram liofilizados e mantidos em dessecador. A caracterização morfológica e morfométrica do sedimento por microscopia eletrônica de varredura foi realizada em sub-alíquotas aderidas em suportes de alumínio com fita adesiva de carbono e cobertas com Ouro ou Carbono. Dados morfométricos foram obtidos em imagens de elétrons secundários. Partículas e agregados são predominantes nos sedimentos. Sua heterogeneidade morfológica ocorre, provavelmente, devido aos processos de deposição-dissolução causados pelo fluxo do rio, bem como, intemperismo. A morfologia dos agregados pode, consequentemente, indicar os processos que afetam o material particulado. Fragmentos biológicos foram encontrados. Foram identificados Al, Si e O como elementos majoritários, compondo silicas e argilas. Framboides e cristais de pirita, tendo Fe e S identificados por microscopia analítica, foram abundantes. Ti e Zr foram detectados em agregados ou partículas menores do que 20 µm. A análise preliminar mostra que a metodologia permite a caracterização morfológica e da composição química dos grãos do sedimento, e os mapas de distribuição dos elementos permitiram inferir a localização destes em partículas e agregados.
Publicado
29-04-2013