DISTRIBUIÇÃO DO C ORGÂNICO EM CLASSES DE AGREGADOS DE SOLOS SOB DIFERENTES COBERTURAS VEGETAIS

  • Ana Carolina Ribeiro Frias
  • Emanuela Forestieri da Gama-Rodrigues
Palavras-chave: Matéria orgânica, agregados do solo

Resumo

A quantidade de C que é estocada no solo está relacionada à natureza física, química, biológica e aos processos microbiológicos do solo. O estoque de C orgânico nos solos sob sistemas de produção tem sua importância ligada ao seu conhecido efeito benéfico na dinâmica de nutrientes e estrutura do solo, bem como pelo seu papel como reserva de CO2 da atmosfera. Os agregados possuem um papel fundamental no seqüestro de C, protegendo fisicamente a matéria orgânica do solo. O objetivo do presente plan Amostras de solo foram coletadas em áreas de pastagem e acácia. Trincheiras de 1m foram abertas e coletaram-se solos em 6 profundidades (0-10cm, 10-20cm, 20-40cm, 40-60cm, 60-80cm, 80-100cm). Os solos foram peneirados de forma manual e separados em diferentes classes de agregados: macroagregados (2000-250mm), microagregados (250-53mm) e fração argila + silte (<53mm). O percentual total de recuperação das classes de agregados após o procedimento de fracionamento foi de 98% do peso inicial do solo. Nesta primeira fase do plano de trabalho fracionamos os solos em diferentes classes de agregados e observamos que quase não houve variação da distribuição das classes de agregados entre as áreas. O pasto apresentou 81% de macroagregados (2000-250mm), 15% de microagregados (250-53mm) e 3% de fração silte+argila (<53). Na acácia a distribuição seguiu a seguinte ordem: 76% macroagregados, 18% microagregados e 5% fração silte+argila. Até o momento podemos sugerir que o tempo de introdução da acácia não tenha sido suficiente para promover alteração na distribuição das classes de agregados quando comparado com o pasto.
Publicado
02-05-2013