VARIAÇÃO DO TEOR DE FLAVONÓIDES EM BACCHARIS TRIMERA

  • Marianna Lemos
  • Jan Schripsema
Palavras-chave: Baccharis trimera, RMN, flavonóides

Resumo

Baccharis trimera é um subarbusto dióico, ereto, com 50-80 cm de altura. É popularmente conhecida no Brasil como carqueja, cacália, bacárida, carqueja-amarga. A infusão de suas folhas é amplamente utilizada na medicina popular no tratamento de disfunções gastrointestinais e hepáticas. Estudos atribuem algumas de suas propriedades medicinais aos flavonóides presentes na planta. O presente trabalho teve como objetivo dosear o teor de flavonóides em diferentes amostras de carqueja. Foram obtidas sete amostras comerciais de carqueja. Depois foram preparados extratos com CDCl3. Os extratos foram analisados por Ressonância Magnética Nuclear (RMN) de 1H, em um espectrômetro com freqüência de 400 MHz. O doseamento foi feito através da integração dos sinais. Após análise de espectros, foi possível identificar dois flavonóides: eupatorina e 5-hidroxi-6,7,3’,4’-tetrametoxiflavona. Diferenças qualitativas puderam ser observadas. Foram encontrados ainda, teores muito diferentes entre as amostras, que variaram de 0,0 a 15,0 mg de flavonóides por grama de planta. É preciso que se crie um sistema de padronização para a comercialização de plantas medicinais. As diferenças quali-quantitativas dos metabólitos podem comprometer o tratamento de pessoas que fazem uso de plantas.
Publicado
03-05-2013