DETECÇÃO DE TRANSCRITOS ABERRANTES DO GENE MDR-1 EM CÂNCER DE MAMA

  • Joana Almeida Borges
  • Amendro Mf
  • Jorge R Vianna
  • P. M. Mangiavachi
  • A. Fl. Rios
Palavras-chave: MDR-1, Câncer de Mama, RT-PCR

Resumo

O gene MDR-1 de humanos, que é localizado no cromossomo 7q21, codifica a P-glicoproteína (PgP). A expressão de PgP diminui o acúmulo intracelular de algumas drogas anticancerígenas. A super expressão do gene MDR-1 causa uma resistência a várias drogas e pode ser induzida pela quimioterapia. Um mecanismo identificado de hiperexpressão desse gene é sua ativação a partir de um promotor derivado de retroelementos gerando um transcrito aberrante (MDR-1/AMT) com uma extremidade 5´ UTR adicional. No presente estudo foi analisada por RT-PCR a presença de transcritos MDR-1/AMT em amostras de câncer de mama de pacientes não expostas a quimioterapia. Os resultados foram visualizados em gel de poliacrilamida 8%, corados com nitrato de prata (0.2%). Apesar de inicialmente o transcrito MDR-1/AMT ter sido encontrado em amostras celulares expostas a pelo menos um tipo de droga quimioterápica, no presente estudo nós identificamos a presença deste transcrito em amostras de tumores de mama extraídas de pacientes sem prévia exposição a quimioterapia. Esses dados são discordantes e apontam para um novo cenário onde a transcrição aberrante ocorre previamente a quimioterapia. Assumindo que muitos transcritos podem apresentar ganho de função gênica tornam-se necessários estudos funcionais para avaliar se MDR-1/AMT possua alguma influência na quimioresistência desses tumores, apresentando dessa forma importância clínica. Neste estudo foi detectada a presença de transcritos aberrantes do gene MDR-1 derivados de um promotor associado a um elemento LTR a montante do início de transcrição deste gene.Diferencialmente ao relatado na literatura a presença deste transcrito foi reportada antes da exposição á quimioterapia.
Publicado
13-05-2013