ATIVIDADE ANTIMICOBACTERIANA DE EXTRATOS E SUBSTÂNCIAS DE PLANTAS E MACROALGAS

  • Marlon Heggdorne de Araújo
  • Thatiana Lopes Biá Ventura
  • Michelle Frazão Muzitano
  • Elena Lassounskaia
Palavras-chave: Tuberculose, Mycobacterium bovis BCG, Produtos naturais

Resumo

A tuberculose representa um grande desafio em todo o mundo. O tratamento envolve o uso de antibióticos e dura de 6-9 meses, levando frequentemente ao abandono do mesmo. Em 2008 foram relatados 9,4 milhões de novos casos de tuberculose. Estes dados ressaltam a necessidade de buscar novos fármacos e os produtos naturais têm sido fonte promissora. Nesse contexto, este estudo visa avaliar a atividade antimicobacteriana, anti-inflamatória e citotoxicidade de extratos, frações e substâncias isoladas. Suspenção de Mycobacterium bovis BCG foi plaqueada em microplaca com meio de cultura 7H9+ADC, 1×106 CFU/poço. Em seguida, adicionou-se meio puro (controle negativo), rifampicina (controle positivo) ou amostras (n=3, estatística: ANOVA). A placa foi incubada à 37 °C e 5% de CO2 por 7 dias. O crescimento micobacteriano foi quantificado pelo método de MTT. A determinação da produção de óxido nítrico (NO) pelo método de Griess e citotoxicidade através da liberação específica de LDH foi avaliada em macrófagos (RAW 264.7, 5x104 células/poço) estimulados por LPS 1µg/mL e tratados com as amostras por 24h. IC50 foi calculado por regressão não-linear a partir da curva dose-resposta Extrato e frações da aroeira (Schinus terebinthifolius) inibiram entre 50-80% o crescimento micobacteriano e sua substância purificada foi mais ativa, com IC50 13,52 µg/mL. Para esta mesma atividade, 10 espécies de Psychotria foram avaliadas, apresentando IC50 ? 55µg/mL. O extrato de P. nuda foi fracionado e a fração hexânica foi a mais ativa. Duas espécies de macroalgas foram estudadas Stypopodium zonale e Laurencia dendroidea. Esta última mostrou-se altamente ativa (IC50 7,08 µg/mL), assim como seu terpeno isolado obtusol. Algumas amostras estudadas foram capazes de inibir a produção de NO em cultura de macrófagos. De maneira geral, apresentaram toxidez baixa a moderada. Em conclusão, este estudo foi essencial para seleção das amostras mais promissoras que possuem substâncias ativas contra o M. bovis BCG, sugerindo também atuação contra espécies mais virulentas. Além disso, a inibição de NO e citotoxicidade contribuem na busca por novas drogas para tuberculose.
Publicado
13-05-2013