AVALIAÇÃO DO PADRÃO DE LIBERAÇÃO DE PROGESTERONA EM VEÍCULO DE AÇÃO PROLONGADA SOB DUAS FORMAS DE COLETA DE AMOSTRAS

  • Loise Lopes de Lima
  • Luis Fonseca Matos
  • Ângelo José Burla Dias
  • Reginaldo da Silva Fontes
  • Márcia Sabino
Palavras-chave: progesterona, dosagem in vitro, liberação hormonal

Resumo

A utilização de biotécnicas como a inseminação artificial, transferência de embriões e produção in vitro tem como ponto em comum a utilização de protocolos hormonais para controle da fisiologia ovariana, sendo a combinação progesterona – estrógeno a mais comumente utilizada. Este projeto tem por objetivo avaliar a o padrão de liberação da progesterona em veículo de ação prolongada sob duas formas de coleta de amostras ao longo de 12 dias de incubação. Três concentrações crescentes de progesterona entre 0,1% e 5% (A, B e C) foram preparadas em PBS e em veículo orgânico. Para a incubação L de cada solução foram adicionados a poços em placas de 24mdas amostras, 500 poços. As amostras foram levadas para estufa a temperatura de 38°C a após 24 h, o sobrenadante das amostras foi colhido de duas maneiras: sem ou com reposição do DMPBS e colocado em microtubo para centrífuga e armazenado a -4°C até o momento da análise. Esse procedimento foi repetido a cada 24 horas durante 12 dias. As dosagens de progesterona foram realizadas por espectrofotometria com comprimento de onda d UV 1203).âe 244 nm (Shimatzu Os valores de leitura da absorbância da curva padrão apresentaram uma excelente distribuição, com uma relação entre a absorbância e concentração de progesterona linear (R2=0,99; P<0,05), indicando o adequado funcionamento da técnica. No teste onde não se fazia a reposição do sobrenadante, as curvas para as diferentes concentrações de progesterona indicaram que as concentrações mantiveram-se praticamente constantes, mostrando-se um método inadequado para acompanhamento da liberação de progesterona, provavelmente pela saturação da solução de extração (DMPBS). Quando se fazia a reposição do meio de extração, foi observada uma curva decrescente, conforme desejado. Baseado nos resultados obtidos até o momento, identificamos que o método mais adequado para o estudo da liberação da progesterona é com reposição do sobrenadante.
Publicado
22-05-2013