VIOLÊNCIA ESCOLAR: UM ESTUDO NA BUSCA DE INDICADORES DA PRESENÇA DO FENÔMENO BULLYING NO CONTEXTO DO CAMPUS CAMPOS-CENTRO DO IF FLUMINENSE

  • Juliana Santana Ribeiro da Silva
  • André Luiz Henriques de Carvalho
  • Vera Raimunda Amério Assef
  • Lara Lysandro de Albernaz Lírio
Palavras-chave: Bullying, Indicadores, IF Fluminense

Resumo

A escola é um espaço relevante para a formação de valores éticos e para a formação cidadã. Porém, a violência se apresenta como um contraponto ao que se espera construir a partir do ambiente escolar. Uma dessas formas de violência é o bullying. Na busca de uma investigação acerca desse problema é que realizamos essa pesquisa, já que, a partir dos indicadores em mãos, teremos subsídios para convidar a comunidade escolar a discutir o fenômeno bullying e suas implicações. Iniciamos realizando uma pesquisa bibliográfica de aprofundamento acerca do tema violência escolar e bullying. Para isso, buscamos construir um embasamento teórico em autores como: Beaudoin, Catini, Debarbieux, Levisky e Lopes Neto. Na pesquisa de campo utilizamos uma abordagem quantitativa. Para a coleta dos dados utilizamos um questionário estruturado baseado no original da instituição inglesa Kidscape. O questionário foi aplicado a uma amostra de 20% dos alunos do ensino médio regular do IF-Fluminense, em todas as séries e turnos, sendo selecionado o mesmo número de meninos e meninas. No contexto do IF Fluminense, dos 256 alunos que responderam o questionário, 21% sofreram algum tipo de violência na escola. Quanto aos agredidos, 49% foram agredidos por meninos, 9% por meninas e 42% por ambos os sexos. Os tipos de violência mais praticados foram: verbal (51%), físico (18%) e sexual (14%). Dos que sofreram violência, 83% sofreram diversas vezes e 11% quase todos os dias. 68% dos agredidos apontam como responsáveis os agressores e a família destes. Os lugares de maior incidência foram o pátio da escola (24%) e a sala de aula (18%). Em relação ao sentimento quanto aos agressores, 91% não gostam ou sentem pena deles. Dos que sofreram violência escolar, 94% sofreram com características de bullying, ou seja, 19% do total de entrevistados estiveram envolvidos como vítimas em casos de bullying, ultrapassando os 16,9% aferidos pela ABRAPIA na pesquisa realizada entre 11/2002 e 03/2003 no município do Rio de Janeiro.
Publicado
06-06-2013