OS PERSONAGENS COMO PROTAGONISTAS DA IDENTIDADE VISUAL CORPORATIVA

  • Alex dos Santos Nunes
  • Isabela Ribeiro Rodrigues
  • Luiz Cláudio Gonçalves Gomes
Palavras-chave: Personagens, Propaganda, Kitsch

Resumo

O projeto pretende investigar o cenário corporativo-gráfico e comunicativo, e a presença dos elementos de “apoio visual” na área de marca/produto. Dentre eles, destacam-se os personagens gráficos, identificadores de marca-produto, e sua evolução desde um aspecto secundário até o papel de protagonistas na identidade corporativa. O ponto de vista adotado parte das considerações sobre o kitsch, fenômeno caracterizado, entre outras coisas, pela pré-fabricação de efeitos sentimentais no consumidor. A reunião de informações deu-se por meio de pesquisa realizada pela Internet e por meio de livros consultados na biblioteca da instituição. O objetivo era encontrar conteúdo que ampliasse a percepção em relação aos personagens corporativos e à propaganda, assim possibilitando o vislumbre de novas maneiras de enfocar estes temas. Parte da pesquisa foi baseada em palavras em inglês de modo a contemplar a extensa produção de artigos escritos nesta língua. Os artigos relevantes para o projeto foram traduzidos com o auxílio de dicionários eletrônicos e convencionais. As informações se tornaram valiosas fontes de consulta quando da preparação de artigos. Tendo surgido no campo da arte, o kitsch estendeu-se para outros seguimentos de raízes artísticas, impulsionado pela indústria cultural. As empresas pertencentes a essa indústria praticamente criaram uma nova forma de se fazer kitsch, com estratégias de publicidade em que todo tipo de extravagância é utilizada para seduzir o consumidor. Entram em cena os personagens gráficos, sempre chamativos no seu exagero visual e no seu discurso, muitas vezes estereotipados para permitir fácil reconhecimento do público. O estudo percebe não só a necessidade de examinar o papel deles em um projeto de identidade visual corporativa, mas também a de compreendê-los crítica e meticulosamente. Ainda que assegurem que os produtos possuem uma determinada qualidade e confiança, a relação dos personagens com o fenômeno do kitsch deve ser observada de perto, de modo a evitar que a distorção de mensagens e a falta de estímulos a questionamentos favoreçam mecanismos de manutenção de massa.
Publicado
12-06-2013