PARÂMETROS TOXICOLÓGICOS DO MASOTEN EM COLINESTERASES DE PEIXES

  • Rodolpho Rocha da Silva
  • Manildo Marcião de Oliveira
Palavras-chave: peixe, colinesterase, ectoparasiticida

Resumo

O consumo de proteína de pescado ou de cultivos aumenta a cada ano. Isto gerou preocupação quanto à ecotoxicologia de compostos voltados neste segmento. Entre os biocidas, destacamos os organofosforados que são aplicados como ectoparasiticidas. O objetivo deste estudo foi de determinar parâmetros toxicológicos da enzima acetilcolinesterase cerebral da tilápia, do lambari e do curimatã através do estudo da sensibilidade a um organofosforado utilizado comercialmente, o Masoten® (80% trichlorfon). Os peixes foram coletados em fazendas de aquicultura e em açude da UPEA - IFF. Os 5 peixes por espécie foram anestesiados e sacrificados. Sendo retirados os cérebros e conservados em banho de gelo, foram estocados em freezer a -20°C. Os tecidos foram homogeneizados em pool com Tp PO4Na 0,1M pH 7,5 contendo 0,1% de Triton X-100. Após centrifugar a 9000 x g por 30 min à 4°C, recolheu-se o sobrenadante para os ensaios bioquímicos. O ensaio de inibição foi realizado incubando-se diferentes concentrações do Trichlorfon em cinco tempos diferentes (1 à 5 min) segundo Kemp and Wallace, 1990. Experimento em tanques com medição dos parâmetros biométricos a concentração subletal de Masoten 0,5 mg.L-1. No experimento in vivo realizado nos tanques (0,4 mg.L-1) a colinesterase muscular de tilápia apresentou inibição significativa após exposição de 16 h com o trichlorfon sem alterar os níveis de glicose. Os resultados de inibição in vitro ainda estão em andamento. Os resultados parciais indicam que o trichlorfon age profundamente nas colinesterases mesmo sem efeito patológico ou de estresse aparente.
Publicado
13-06-2013