DETERMINAÇÕES MICROBIOLÓGICAS E FÍSICO-QUÍMICAS DAS ÁGUAS DO RIO ITABAPOANA NO VALE DO ITABAPOANA: PARÂMETROS DE QUALIDADE

  • Alina Xavier Carvalho
  • Laysa Pollyana de Oliveira
  • Paula Aparecida Martins Bastos Borges
  • Juliana Gonçalves Vidigal
Palavras-chave: Qualidade da água, Determinação de pH, Coliformes

Resumo

O consumo de águas dentro dos padrões de potabilidade adequados é uma questão relevante de saúde pública no Brasil, além de constituir uma ação eficaz na prevenção de doenças veiculadas pela água. O objetivo do presente trabalho foi identificar alguns aspectos de qualidade microbiológica e físico-química do rio Itabapoana na região do Vale do Itabapoana, através do monitoramento efetivo e constante da água. Amostras de água foram coletadas em três pontos ao longo do rio Itabapoana. Um imediatamente anterior à entrada da cidade de Bom Jesus do Itabapoana (ABJ1), outro no centro da cidade (ABJ2) e o último após passar por toda a cidade (no IFF, campus Bom Jesus = ABJ3). As coletas foram mensais, no período de agosto de 2010 a abril de 2011, sendo realizadas com recipientes esterilizados. Foram efetuadas as análises: número mais provável de coliformes totais e pH. A análise de coliformes totais foi realizada conforme descrito no Manual de Métodos de Análise Microbiológica de Alimentos (Silva et al., 2006) e a de pH foi feita através do método potenciométrico, utilizando-se um pHmetro digital. Os menores valores de coliformes totais foram encontrados no ponto ABJ1, com variação de menos de 300 a 15.000 NMP/100mL. A água coletada no ponto ABJ2 atingiu o máximo (15.000 a > 110.000/100mL), caindo posteriormente em ABJ3 (9.300 a 46.000/100mL), mas, todavia, não a níveis tão baixos quanto em ABJ1. Podemos classificar as águas do rio Itabapoana em ácida e ligeiramente ácida, já que seu pH apresentou pequenas variações de um ponto a outro, com pH do ponto ABJ1 variando de 5,35 a 6,76; o ponto ABJ2 apresentou variação de 6,0 a 6,89; e no ponto ABJ3 os valores de pH variaram de 5,5 a 6,92. Os municípios de Bom Jesus do Itabapoana e Bom Jesus do Norte são responsáveis por um aumento no NMP de coliformes totais no rio Itabapoana, porém percebe-se uma tendência à depuração no ponto de saída das cidades.
Publicado
13-06-2013