AUTOMAÇÃO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA SUPERFICIAL UTILIZADA PARA ATENDER COMUNIDADES RURAIS

  • Roberta Pessanha Alves
  • Nathalie Terra de Azevedo
  • Willians Salles Cordeiro
  • William da Silva Vianna
  • Vicente de Paulo Santos de Oliveira
Palavras-chave: Estação de Tratamento de Água, Automação, Controlador Lógico Programável

Resumo

O rio Paraíba do Sul é a principal fonte de abastecimento de água da região Norte Fluminense, possui a qualidade de suas águas comprometidas pelo despejo de esgoto in natura. As comunidades mais afastadas do centro urbano convivem com a falta água tratada e encanada. Diante deste cenário, trabalhou-se na automação da Estação de Tratamento de Água superficial (ETAsup), de forma a viabilizar a distribuição de água de qualidade para comunidades rurais, projeto que visa baixo custo. A preliminar do projeto foi composta pela efetuação dos manuais, operacional e descritivo, da ETAsup que se encontra em funcionamento na Unidade de Pesquisa e Extensão Agroambiental (UPEA). Esta é uma estação de tratamento convencional, o produto de entrada são as águas do rio Paraíba. O produto final é a água tratada de acordo com os parâmetros da Portaria do Ministério da Saúde n° 518, 25 de março de 2004. O projeto de engenharia de automação, o qual é composto por várias etapas para atingir a eficácia, consiste na elaboração de documentos importantes, Fluxograma de Processo, Folha de dados do Processo, Lista de instrumentos, Diagrama Lógico e Planta de encaminhamentos de cabos. A automação é um diferencial e uma inovação tecnológica. Considerando os requisitos de baixo custo de implantação, baixa manutenção e indisponibilidade de operador local, iniciou-se o projeto de automação do sistema. Nesta fase foram analisadas diversas soluções tecnológicas para a base do sistema de controle. Inicialmente foi identificado Controlador Lógico Programável (CLP) do fabricante Phoenix série 150 com os requisitos de hardware e programação necessários para atender ao projeto. Este controlador possui servidor WEB integrado permitindo controle e operação via browser, que resultaria na ausência da sala de controle e facilidade de supervisão via internet A automação da unidade, uma agregação de valor ao protótipo, configura-se num projeto possível de ser patenteado, possibilitando um estudo aprofundado em áreas de atuação da Engenharia de Automação, em face das mais diversas tecnologias oferecidas pelo mercado de equipamentos e instrumentos.
Publicado
14-06-2013