ESPAÇO E CULTURA NA MICRORREGIÃO I DO NORTE FLUMINENSE

  • Angelina Barros Mota Arêas
  • Cléber Ferreira de Freitas
  • Gustavo Siqueira da Silva
Palavras-chave: Espaço, Religião, Festas populares

Resumo

Ao considerar a religião como um aspecto cultural do espaço, propomos a análise das especificidades religiosas da Microrregião I do Norte Fluminense. Estudamos inicialmente, a cidade de São João da Barra. Para tanto, realizamos um levantamento das festas católicas que ocorrem no município em questão, a fim de apontar possíveis eixos de pesquisa acerca dessas festas populares. Neste contexto, utilizamos a festa de Nossa Senhora da Penha de Atafona como ponto de partida de nossos estudos. Para melhor conhecer a cultura regional e estabelecer o referencial teórico, utilizou-se o método de gabinete. O levantamento bibliográfico subsidiou a definição de conceitos norteadores, além da identificação de algumas festas religiosas da região. Os trabalhos de campo realizaram-se a fim de identificar as demais festas e para encontrar e reunir as fontes de cada uma. O método etnográfico que consiste na aproximação com os grupos estudados foi utilizado na festa de Nossa Senhora da Penha. Tal método mostrou-se satisfatório e será empregado nas outras etapas da pesquisa. Constatamos que o município de São João da Barra possui 28 festejos destinados a variados santos. Porém, ao direcionarmos nossa atenção para a festa de Nossa Senhora da Penha em Atafona, 2º distrito sanjoanense, verificamos que as comemorações que envolvem a festa em questão são marcadas por diferentes práticas festivas e devocionais, que unem e separam os sujeitos e perpassam uma multiplicidade de momentos simbólicos e ritualísticos que não são percebidos da mesma forma pelos sujeitos sociais. Propomos então, a abordagem da construção de sua espacialidade através do estudo de seus principais agentes e da comparação entre os espaços sagrados e profanos que são formados no período da festa. Ao reunir dados das festas religiosas sanjoanenses, identificamos um eixo de pesquisa a ser desenvolvido nas demais festas da região. Trata-se da construção da espacialidade através do estudo dos principais agentes e da comparação dos espaços sagrado e profano presentes em seu contexto.
Publicado
19-06-2013