DESENVOLVIMENTO DE UM HIPERDOCUMENTO PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE TERMODINÂMICA

  • Jéssica de Souza Ribeiro
  • Geórgia Amaral Mothé
  • Rodrigo Garrett da Costa
Palavras-chave: termodinâmica, hiperdocumento, ensino

Resumo

Apresenta-se o desenvolvimento do hiperdocumento “História da Termodinâmica”, voltado aos estudantes das licenciaturas em Física e em Química, como parte das pesquisas do Núcleo de Estudos em Física (NEFIS) do Instituto Federal Fluminense. Desde sua concepção, buscou-se realizar os procedimentos de modelagem conforme propõe Nemetz (1995), de forma a atender aos critérios de usabilidade estabelecidos por Nielsen (1993) e evitar a sobrecarga cognitiva dos usuários. A modelagem do hiperdocumento baseou-se nas técnicas descritas no HMT (NEMETZ, 1995), as quais compreendem as seguintes etapas: modelo de objetos, modelo de navegação e modelo de interface. Com o modelo de objetos descreve-se a estrutura dos objetos em um domínio, ou seja, as classes de objetos, que representam um grupo de objetos com propriedades semelhantes. O modelo de navegação descreve os caminhos possíveis pelos quais os usuários podem navegar, além de reduzir a sobrecarga cognitiva e a desorientação do usuário. Já o modelo de interface representa as trocas de informações que podem ocorrer entre o usuário e a aplicação, especificando os objetos perceptíveis que estarão disponíveis. O desenvolvimento do hiperdocumento foi feito com base em critérios de qualidade desejáveis em softwares e nas heurísticas de Nielsen (1993), as quais sugerem meios de se evitar problemas de usabilidade na interface com o usuário. As heurísticas que foram priorizadas no desenvolvimento desse hiperdocumento foram: 1. Compatibilidade entre sistema e mundo real; 2. Controle e liberdade para o usuário; 3. Consistência e padrões; 4. Flexibilidade e eficiência de uso. As técnicas descritas no HMT mostraram-se adequadas aos nossos objetivos, uma vez que o aluno poder criar seus próprios caminhos, atingindo diferentes níveis de aprofundamento no assunto. Além disso, destacamos a utilização o software livre, KompoZer, devido a sua rapidez e flexibilidade.
Publicado
19-06-2013