O CONSUMO EMOCIONAL

  • Isabela Ribeiro Rodrigues
  • Alex dos Santos Nunes
  • Luiz Claudio Gomes Gonçalves
Palavras-chave: Personagens, funcionalismo kitsch, consumo

Resumo

A essência deste trabalho esta na funcionalidade existente no processo de representação significativa de objetos Kitsch, presentes no dia a dia promocional de uma grande marca, tendo em vista que o homem busca atribuir funcionalidades a objetos, imagens e textos. Estudos sobre personagens de marca nos levam a várias vertentes de pesquisa, que ostram uma importância considerável das personagens frente a grandes corporações. A relação existente entre marcas e público-alvo, personagens e emoções O trabalho foi basicamente construído através de uma fundamentação teórica dos conceitos que circundam o personagem mascote e sua a representação. Revisão bibliográfica e documental, nesta etapa foram aprofundados e detalhados dados e informações teóricos que contribuíram para o desenvolvimento da pesquisa. Livros e artigos do acervo do núcleo, na internet e na biblioteca da instituição – IFF – também se tornaram ferramentas nesse estudo. Baseados no levantamento bibliográfico realizado foram definidas as variáveis relevantes para o estudo e projeto. Personagens protagonizam ao se tratar da representação dos aspectos humanizadores de uma marca, e influenciam diretamente no desejo de quer ser e querer ter algo. A satisfação proporcionada pelas atitudes de uma personagem de um produto ou serviço, enfatizam ainda mais a realização de posse, com sua aura kitsch levam o consumidor a querer possuir um objeto que por sua vez terá uma funcionalidade emocional, inicialmente nada mais que uma realização pessoal. Assim Corporações investem em sua comunicação visual na busca pela fidelidade do público, que por meio apelo emocional de uma personagem que conquista e fascina o público-alvo, dando um reconhecimento imediato ao produto ou serviço A cultura kitsch transpõe a funcionalidade de um objeto ao se tratar da realização emocional. Corporações investem em sua comunicação visual buscando a humanização perante o público-alvo, que se utiliza de personagens para ganhar espaço na indústria cultural por meio do apelo emocional.
Publicado
19-06-2013