AVALIAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E CONFORTO AMBIENTAL DE PROJETOS ESCOLARES, COM ÊNFASE NO IFF CAMPUS CAMPOS – CENTRO

  • Paola Vasconcelos Ferreira Moreira
  • Regina Coeli Martins Paes de Aquino
Palavras-chave: Conforto Térmico, Projetos Escolares, IFF

Resumo

A eficiência energética de um edifício pode apresentar melhores resultados em função de um projeto consciente que tenha considerado as variáveis ambientais físicas e climáticas envolvidas. Foi estabelecido um procedimento de análise para avaliar o aspecto do conforto térmico com avaliação de dados coletados no Bloco A do IFF – campus Campos – centro. A partir destes dados serão elaboradas propostas para melhoria da eficiência energética e conforto ambiental da edificação escolar. Foi realizado um levantamento sobre as características térmicas dos ambientes do Bloco A do IFF campus Campos - centro, identificando a tipologia arquitetônica, os materiais construtivos utilizados, a tipologia e orientação dos sistemas de aberturas e foram observados problemas de projeto em relação à orientação solar e inadequação de uso. Com auxílio de aparelhos específicos foram coletados dados referentes ao conforto térmico e houve entrevista com os usuários para subsidiar a análise a partir dos dados dos aparelhos. Comparando as simulações e medições dos ambientes, serão identificadas possibilidades de intervenção na edificação para melhoria do conforto do usuário. A aplicação desta metodologia no desenvolvimento de novos projetos e na avaliação pós-ocupação contribui para a melhoria do ambiente escolar. A investigação científica sobre conforto ambiental em ambientes escolares serve de embasamento para a proposição de alternativas mais adequadas ao usuário - centro do processo, contribuindo assim para a formação de alunos que terão consciência da qualidade de ambientes e da melhoria da qualidade de vida como conquista da cidadania no meio urbano. Vale ressaltar a possibilidade de novas pesquisas como o desenvolvimento de banco de dados de projetos existentes avaliados com essa metodologia, indicando os problemas e soluções podem ser implementadas. Com o resultado obtido é possível perceber que há recursos arquitetônicos nos ambientes do Bloco A que foram inutilizados e que agora podem ser reestudados, melhorando o conforto térmico de forma natural, sem o uso de energia elétrica nas salas de aula e melhorando assim a eficiência energética.
Publicado
21-06-2013