MOVIMENTOS SOCIAIS, TRABALHO E POLÍTICA: ANÁLISE DAS DISPUTAS DOS PROCESSOS SOCIETÁRIOS

  • Carlos de Almeida Campos
  • Mirian Freitas da Silva
  • José Henrique Organista
Palavras-chave: Movimentos Sociais, MST, Campos dos Goytacazes

Resumo

O projeto tem por objeto de pesquisa o MST em Campos dos Goytacazes. Trabalhamos com uma bibliografia sobre movimentos sociais no Brasil e no mundo. Partimos de uma perspectiva macroteórica, suas semelhanças e diferenças com um recorte empírico e microteórico de nosso objeto. Deteremos-nos a questões como a união entre os líderes e assentados e as estratégias de luta política do MST, com intuito de demonstrar a existência de uma perspectiva dual entre os líderes e as "massas". Usamos como base a análise de dados já coletados em alguns estudos sobre o MST no município, somam-se a isso, as reuniões e entrevistas com lideranças desse movimento, questionários estruturados onde obtivemos informações de suma importância para darmos continuidade ao processo de pesquisa, bem como participações e observações nas feiras agrícolas organizadas pelos assentados na UENF e IFF. Iniciamos nossos estudos através da junção dos postulados teóricos das escolas americana e européia. A diferença entre as escolas reside no foco de estudo destas. Enquanto a Escola Americana focaliza-se no ator, com Olson (custo/beneficio) e com Tarrow problematizando a “vida útil” do movimento, a escola Européia (com Touraine) preocupa-se com a questão da estrutura. Do exposto, entendemos que não se pode negligenciar nem atores nem estruturas se quisermos dar conta da complexidade e da fragmentação do real. Ambos encontram-se dialeticamente dependentes e, isso, pode explicar a relação do MST com o poder público, bem como a pouca participação das bases nas políticas universais do movimento. Há dificuldade do MST local de manter os assentados na política do movimento. Assumindo a condição de assentado, a preocupação fica restrita ao escoamento da produção. Assim, as propostas universais do movimento dão lugar às ações individuais com forte dependência dos assentamentos do poder público.
Publicado
21-06-2013