HISTÓRIA, MEMÓRIA, GÊNERO E INSTITUIÇÕES

  • Wellen Costa de Almeida
  • Márcia Regina da Silva Ramos Carneiro
Palavras-chave: Ciência, Gênero, Instiruições

Resumo

O projeto História e Memória: Ciência, Gênero e Instituições estabelece correspondências entre definições do conceito de gênero, historicamente construídas, em meio ao desenvolvimento científico voltado à saúde da mulher e suas aplicações no Brasil. Como objeto de estudo, a primeira Maternidade criada pelo Estado laico brasileiro, a atual Maternidade-Escola da UFRJ, relacionando sua criação (1904) ao estabelecimento de Políticas Públicas na construção de uma identidade nacional. Como metodologia, utiliza-se a pesquisa bibliográfica, empreendendo a busca de dados biográficos dos gestores da Maternidade-Escola, mesmo anteriores à sua fundação, construindo quadros analíticos das redes sociais, acadêmicas, científicas e políticas nas quais se encontram relações de interação entre os pesquisados. Além de pesquisa em literaturas de diversas ordens, com o objetivo de constituição das redes de interesses, e do trabalho de campo, a pesquisa se vale da metodologia da História Oral para recolhimento de depoimentos de médicos, professores e funcionários que correspondem à história dos últimos sessenta anos da Maternidade-Escola, construídas através dos resgates de memórias. A pesquisa volta-se para a análise da participação de médicos dedicados à ciência conjuntamente aos projetos republicanos de construção de um povo brasileiro, a partir da instituição Maternidade de Laranjeiras (atual ME/UFRJ) criada em 1904, visando o cuidado com a mulher brasileira da gestação até o parto. Neste sentido, o acompanhamento desta história/memória contribuir para a percepção dos objetivos da implantação do conhecimento científico da Ginecologia e da Obstetrícia trazido, desde o século XIX da Europa, que foi sendo renovado e mesmo construído no ambiente de consolidação da República brasileira como ambiente da razão, da ordem e do progresso até a atualidade. Ao contribuir para constituição de redes sociais, políticas e científicas percebe-se a amplitude do alcance destas. No conjunto, as ações e as produções teóricas dos personagens que atravessam a história da Maternidade-Escola da UFRJ dão-lhes destaque na História Política e da Medicina brasileiras.
Publicado
25-06-2013