PERCEPÇÕES DOS CAMELÔS DE CAMPOS DOS GOYTACAZES A RESPEITO DE SUA ATIVIDADE E DA “ORDEM URBANA”

  • Hernan Armando Mamani
  • Camila Dalvi Venturim
  • Cliciane Crespo
  • Magnólia Almeida
  • Paula Barreto
Palavras-chave: Mercado de Trabalho, Economia informal, Urbanização

Resumo

Este trabalho tem por objetivo compreender como a política municipal de Campos dos Goytacazes trata do comércio informal, favorecendo a formação de um “empresariado” e formas populares do uso do centro urbano. A pesquisa é integrante do projeto “Economia informal,mercado de trabalho e Políticas Públicas no Norte Fluminense”,cujo objetivo é caracterizar a economia e os mercados de trabalho informais nesta região priorizando a compreensão de suas práticas, tendo, ademais, uma perspectiva espacial. Os dados provêm de entrevistas realizadas com os camelôs no centro da cidade, bem como de contextualizações realizadas com base no Jornal Folha da Manhã no período de Janeiro de 2007 até Janeiro de 2011. Entrevistamos funcionários e proprietários das bancas com o objetivo de compreender melhor como se dão as relações envolvendo tais atores dentro no cenário do Camelódromo. Além das entrevistas, utilizamos recursos teóricos no sentido de desenvolver e aprofundar nosso olhar sobre tal questão. Acreditamos que tal procedimento permitirá conhecer melhor as relações econômicas, políticas e sociais envolvidas no uso das áreas centrais das cidades. Pretendemos caracterizar um mercado em expansão numa cidade que em vinte anos deixou se ter mercados de trabalho predominantemente rurais para consolidar mercados de trabalho urbanos. O comércio informal em Campos dos Goytacazes não se diferencia muito do conhecido no Rio de Janeiro. A diversidade de atividades e produtos não autoriza tratar do comércio informal como um grupo monolítico. Existem consideráveis diferenciações, quanto a situação do trabalho, os produtos vendidos, rentabilidade e até mesmo o nível de legalidade. O estatuto do ponto de vista legal pode até ser informal, mas a maneira como estrutura as suas atividades é em observância àquele padrão válido para o comércio em geral. O camelódromo constitui assim uma política isolada impossível de se generalizar. O crescimento da informalidade na economia manifesta-se, inclusive pelo número cada vez maior de atividades econômicas que atuam à margem da economia oficial.
Publicado
26-06-2013