A INFLUÊNCIA DAS CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS DAS FAMÍLIAS NO DESEMPENHO DOS PARTICIPANTES DO ENEM NA REGIÃO NORTE FLUMINENSE

  • Alda Pinto da Silva
  • Tatiani de Lima Santos Reid
  • Marlon Gomes Ney
Palavras-chave: Educação, Desigualdade de oportunidade, Qualidade da educação básica

Resumo

A alta desigualdade de renda no Brasil é uma das marcas da evolução histórica brasileira, estando presente desde o surgimento da economia colonial, cuja base era a concentração fundiária e o trabalho escravo. A desigualdade é tão elevada que a parcela da renda total apropriada pelos 1% mais ricos é quase a mesma recebida pela metade mais pobre da população. Verifica-se ainda que a escolaridade é a variável de maior efeito na conformação da renda. A base de dados utilizada em nosso estudo é constituída pelos microdados do ENEM 2005 do estado do Rio de Janeiro. A pesquisa contemplara a prova objetiva de múltipla escolha, abrangendo as atividades pedagógicas da escolaridade básica no país. Para analisar as diferenças na qualidade da educação básica, entendemos que a variável a ser trabalhada é a nota da prova objetiva, porque a subjetividade dos corretores das provas de redação pode ter um papel importante na atribuição das notas. Já as provas objetivas são corrigidas por meio de processo automatizado, não estando sujeitas às interferências dos corretores. Mais de 80% dos participantes do ENEM oriundos de famílias com renda até 1 salário mínimo (mais pobres) tiveram desempenho na faixa insuficiente a regular, tiraram nota menor ou igual a 40. Contrastando com a realidade dos mais ricos, foi possível observar que menos de 16% dos participantes cujos pais tinham renda superior a 30 salários mínimos tiraram notas nessa faixa de desempenho. Os alunos de escolas estaduais tiveram um péssimo resultado: apenas 2 participantes em cada 1.000 (0,2%) conseguiram o melhor conceito. Os melhores resultados foram adquiridos pelos alunos das redes particular e federal de ensino, em que 17,6% e 11,4% dos estudantes conseguiram, respectivamente, notas superiores a 70. Dada a relação entre educação e renda, conclui-se que as diferenças na qualidade da educação básica tendem a se transformar em disparidades de rendimentos. Nesse sentido, torna necessária a elaboração de políticas públicas voltadas à melhoria da qualidade do ensino público na região Norte Fluminense.