ANÁLISE DE LIGAÇÃO COMO FERRAMENTA DE DETECÇÃO INDIRETA DE PORTADORES DE DISTROFIA MUSCULAR DUCHENNE PELA INTRODUÇÃO DE NOVOS MARCADORES POLIMÓRFICOS

  • Laís Gomes Sarlo
  • Filipe Brum Machado
  • Enrique Medina-Acosta
Palavras-chave: Análise de ligação, Distrofia Muscular Duchenne, Marcadores polimórficos

Resumo

Introdução: A Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) é a doença genética com padrão de herança recessiva ligada ao sexo mais freqüente, causada por mutações no gene distrofina. O diagnóstico indireto de portadores pode ser feito mediante análise de ligação de marcadores polimórficos do tipo Repetições Curtas em Tandem (STR) Atualmente são usados STR dinucleotídeos. A meta é introduzir marcadores STR tetranucleotídeos e pentanucleotídeos no diagnóstico indireto de portadores da DMD.Metodologia: Mineração in silico de novos STR tetranucleotídeos e pentanucleotídeos na região Xp21.2-p21.1 utilizando ferramentas de bioinformática. Não foram incluídos dinucleotídeos, que possuem como limitação, a ocorrência de produtos stutter, que diferem em tamanho por múltiplos da unidade de repetição do alelo verdadeiro, comprometendo a designação dos alelos. O índice potencial de polimorfismo foi determinado in silico pela validação comparativa de banco de dados de 3 genomas de referência. Marcadores validados foram utilizados no desenvolvimento de um ensaio multiplex da Reação em cadeia da Polimerase Quantitativa de Fluorescência (QF-PCR) e submetidos à eletroforese capilar.Resultados: Foram identificados 15 novos marcadores, todos intrônicos, com a seguinte distribuição: 2 trinucleotídeos, 7 tetranucleotídeos, 4 pentanucleotídeos e 2 hexanucleotídeos, compreendidos em uma região de 1,95 Mb (distância genética 8,8 cM). Iniciadores foram desenhados para os novos marcadores na região. Esses marcadores, marcados com fluorocromo foram testados utilizando a QF-PCR. Resultados preliminares revelaram a eficiência e a fidedignidade dos testes realizados in silico. A designação alélica dos novos marcadores por tipagem de DNA de indivíduos não afetados foi mais acurada do que com STR dinucleotídeos mostrando maior potencial em diagnóstico indireto.Conclusões: Nove dos quinze novos marcadores exibiram polimorfismo in silico, validando seu potencial informativo em diagnóstico indireto. A heterozigose observada permitirá a identificação indireta dos cromossomos portadores de mutação no gene DMD.