ASPECTOS BIOMÉTRICOS DE MACHOS DO CAMARÃO SETE-BARBAS, Xiphopenaeus kroyeri (Heller, 1862), NO NORTE DO RIO DE JANEIRO

  • Lalita Pessanha Jardim
  • Lais Fernandes
  • Ana Paula Di Beneditto
Palavras-chave: Xiphopenaeus kroyer, Machos, Biometria

Resumo

O objetivo desse trabalho é apresentar as características biométricas dos machos do camarão sete-barbas, X. kroyeri, da costa norte do estado do Rio de Janeiro. As coletas foram realizadas mensalmente, entre junho de 2008 e março de 2009, a partir de embarcações de pesca sediadas no porto de Atafona, São João da Barra. A rede de arrasto de fundo com portas foi o artefato empregado nas amostragens. A bordo da embarcação uma alíquota de 1-2 kg do camarão foi separada aleatoriamente. No laboratório, os machos foram separados em imaturos e maturos através da observação do grau de fusão do petasma. A seguir, os camarões foram medidos quanto ao comprimento total e comprimento do cefalotórax, com auxílio de paquímetro (mm), e pesados individualmenteem balança digital (0,1 g). Durante o período de estudo, 1.784 machos da espécie foram analisados, sendo cerca de 8% de imaturos (n= 144) e 92% de maturos (n= 1.640). O comprimento total variou de 44 a 107 mm para machos imaturos (média: 67±9,1 mm), e 59 a 134 mm para os maturos (média: 91±12,6 mm). Em relação ao comprimento do cefalotórax, os imaturos variaram de 8 a 20 mm, com média de 12±2 mm, e os maturos de 10 a 29 mm, com média de 17±2,9 mm. O peso variou de 0,2 a 7,0g no caso dos imaturos (média: 1,6±0,8 g), e 1,1 a 13,8g para os maturos (média: 4,3±1,8 g). Esses valores são semelhantes àqueles registrados para os machos da espécie em estudos realizados anteriormente na mesma região, e podem ser considerados como as dimensões características dessa população de camarão sete-barbas. Através dos dados biométricos obtidos foi possível ajustar equações de regressão que relacionam as dimensões corporais: P = 0,000004CT3,0752 (n = 1.214, R2 = 0,93332) e CC= 0,218CT – 2,897 (n = 1.214, R2 = 0,9143), onde P representa o peso, CT o comprimento total e CC o comprimento do cefalotórax. As equações indicam o crescimento alométrico da espécie, o que já era esperado para camarões da família Penaeidae.

Biografia do Autor

Lalita Pessanha Jardim
Laboratório de Ciências Ambientais, UENF / CBB
Lais Fernandes
Laboratório de Ciências Ambientais, UENF / CBB
Ana Paula Di Beneditto
Laboratório de Ciências Ambientais, UENF / CBB