AVALIAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE METAIS PESADOS EM AMOSTRAS DE SIRIS Callinectes ornatus DA LAGOA DE IQUIPARÍ R.J.

  • Sueli de Fátima Andrade
  • Roberto Novelli
  • Carlos Eduardo Veiga de Carvalho
Palavras-chave: lagoa de Iquiparí, metais pesados, crustáceo

Resumo

A lagoa de Iquiparí, localiza-se no Norte Fluminense, no município de São João da Barra , no município do Estado do Rio de Janeiro, na posição (21º 44’S; 41º02’O). Possui uma extensão de 1,4 Km2 e cerca de 16 Km2 de comprimento. A construção civil acelerada em torno do complexo faz com que o “turismo ilegal” principalmente na estação do verão, aumente cada vez mais, proporcionando também a pesca de Callinectes ornatus – siri, sem controle do espécime na região. Por isso, o objetivo deste presente estudo é avaliar as concentrações de metais pesados como, (Zn, Cd, Pb, Cr, Cu, Ni, Fe, Mn, Ba, V e Al) no tecido muscular de Callinectes ornatus (crustáceo) utilizado na alimentação da população em geral na região. O processamento químico das amostras de Callinectes ornatus seguiu a metodologia empregada por Páez-Osuna et al., (1995), Latouche & Mix (1982) e Riget et al., (1997): solubilização das amostras (sem calcinação prévia) com auxílio de bloco digestor à 100 °C em capela através do uso de HNO3 concentrado (10,0 mL). Após a digestão, as amostras foram evaporadas até quase a secura total, filtradas e aferidas com HNO3 0,5 N a um volume final de 20 m L. Para verificação de possíveis contaminações, foram analisados quatro brancos. Para a determinação das concentrações dos metais nas amostras de tecido muscular do abdome dos siris C. ornatus foi utilizado o espectrofotômetro de emissão atômica com plasma induzido (ICP-AES Varian, modelo Liberty II). A concentração de metais pesados em tecido muscular de Callinectes ornatus os elementos Cr, Ni, Pb, V Ba e Cd apresentaram concentrações abaixo de limite de detecção da metodologia empregada. Quanto aos demais elementos estudados Al (37,0 ?g.g-1) foi o metal que mais apresentou a concentrações média mais elevada seguido pelo Zn (27,2 ?g.g-1) Fe (21,2 ?g.g-1), Cu (4,0 ?g.g-1) e Mn (2,7 ?g.g-1). De uma maneira geral as concentrações dos metais analisados foram mais elevadas nos organismos machos quando comparados com as fêmeas em uma mesma coleta. Da mesma forma, para todos os metais analisados as concentrações observadas no mês de julho foram superiores as concentrações mensuradas no mês de agosto de 2008.