AVALIAÇÃO DO PODER PREDITIVO DE MODELOS MATEMÁTICOS E CONSTRUÇÃO DE PLANILHA DE OTIMIZAÇÃO COM BASE EM RESTRIÇÕES NÃO-LINEARES DE UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA E ENERGIA METABOLIZÁVEIS E DA REPLEÇÃO RUMINAL DA FIBRA

  • Leonardo Siqueira Glória
  • Ricardo Augusto Mendonça Vieira
  • Anselmo Horsth de Paiva Teixeira
Palavras-chave: Caprinos, otimização, valor nutritivo

Resumo

O objetivo básico estabelecido para este projeto é o de programar um algoritmo não-linear constituído por equações de predição das exigências nutricionais e do valor nutritivo de alimentos, que permita a formulação e a avaliação simultâneas de rações de custo mínimo para caprinos. Os caprinos, apesar de ruminantes como ovinos e bovinos, exibem diferenças quanto aos hábitos de pastejo, às atividades físicas, às exigências em água, ao grau de seletividade por determinados alimentos, à composição do leite, à composição de carcaça, às desordens metabólicas e à sanidade em geral, o que justifica seu estudo particular em relação aos demais ruminantes domésticos. Observados estes aspectos, faz-se necessário o ajuste de seu manejo nutricional ponderando-se produtividade e eficiência econômica. Por isso, a compreensão dos processos ligados à degradação e à retenção dos alimentos no rúmen-retículo é de fundamental importância à quantificação dos fenômenos da digestão, da utilização dos nutrientes e da predição do consumo voluntário de matéria seca. O modelo animal é composto por dois conjuntos de equações. O primeiro se refere à descrição dos alimentos quanto ao seu valor nutricional, enquanto função de características intrínsecas do alimento e das funções fisiológicas da categoria animal que o recebe. O segundo conjunto é relativo à determinação das necessidades nutricionais diárias de caprinos, geradas pelas funções produtivas e pelos processos de manutenção. A determinação das exigências nutricionais diárias será modelada a partir de resultados de experimentos realizados no Brasil e no exterior. As referências, para serem consideradas aptas a constituírem o banco de dados deverão conter as rações experimentais descritas detalhadamente, no que se refere aos nutrientes orgânicos e minerais considerados anteriormente. Deverão constar o consumo de matéria seca e o balanço de matéria e energia nos animais ou, pelo menos, informações que possibilitem a obtenção de suas estimativas, como as produções de fezes e de calor nos ensaios de abate comparativo ou os coeficientes de digestibilidade das rações oferecidas.