CARACTERIZAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ONTOGÊNICO DE Melanotaenia lacustris

  • Leonardo Demier Cardoso
  • Júnior M. V. Vidal
  • J. H.S. Motta
Palavras-chave: Ontogenia, Melanotênia Lacustre, Desenvolvimento embrionário

Resumo

Os estudos a respeito de espécies de melanotênia vêm aumentando devido a seu potencial de produção e pela necessidade da preservação desta espécie no meio ambiente, já que se encontra ameaçada de extinção. A larvicultura ainda representa um entrave na produção, uma vez que as fazes iniciais durante o desenvolvimento, é um momento crítico na vida dos peixes. A falta de informações sobre as exigências nutricionais das larvas e suas características morfo-fisiológicas impedem o avanço das melhorias no manejo alimentar resultando, freqüentemente, em crescimento lento e sobrevivência reduzida. Objetivando Descrever a seqüência e o tempo requeridos em horas-grau no desenvolvimento de eventos morfofisiológicos durante a evolução de embriões de Melanotaenia lacustris. Serão realizadas desovas naturais de melanotênia lacustre (Melanotaenia lacustris), os ovos serão contados e observados em microscópio óptico para a medição e identificação do estágio embrionário. A seguir, serão transportados para peneiras flutuantes no aquário de incubação. Periodicamente os embriões serão observados até a eclosão, permitindo a determinação de cada estágio embrionário. Serão mensurados o comprimento e altura da larva e saco vitelínico das larvas recém eclodidas. A temperatura, o pH e o oxigênio serão mensurados nos momentos de observação. A análise estatística dos dados será descritiva para todos os parâmetros sendo aplicada correlação de Pearson entre todos os parâmetros. Em experimento preliminar a temperatura média obtida da água foi de 27,7967 ± 0,42335. O valor médio de pH foi 6,979412 ± 0,439752 e o de oxigênio foi 6,452941 ± 0,582204. Observou-se que a primeira divisão do blastodisco gerou duas novas células e se iniciou com 2,0 HPF(horas pós-fecundação) e 56,0 HGPF(horas graus pós-fecundação). Com 25,0 HPF e 699,0 HGPF foi possível observar a presença do eixo embrionário. O início dos batimentos cardíacos se deu com 59,0 HPF e 1360,0 HGPF, apresentando em média 39,33 batimentos por minuto. O início da diferenciação do fígado ocorreu com 91,0 HPF e 2472,0 HGPF, estando completamente diferenciado com 107,0 HPF e 2917,0 HGPF. A formação do ânus se deu com 99,0 HPF e 2696 HGPF. Com 135,0 HPF e 3626,0 HGPF ocorreu a abertura da boca. As eclosões ocorreram no período de 161,0 HPF e 4360,0 HGPF a 180,0 HPF e 4920,0 HGPF.