CARACTERIZAÇÃO E INCORPORAÇÃO DE RESÍDUOS PROVENIENTES DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA EM CERÂMICA VERMELHA

  • Jhonatas Pereira Dias Vitorino
  • Carlos Maurício Fontes Vieira
Palavras-chave: Resíduo, Cerâmica Vermelha, Propriedades

Resumo

Introdução: Resíduos sólidos são uma preocupação mundial devido ao seu grande volume e a dificuldade de sua destinação final. A incorporação de resíduos de várias atividades em produtos cerâmicos argilosos é uma alternativa tecnológica que pode contribuir para a redução do impacto ambiental. Um exemplo destes resíduos são os lodos de Estações de Tratamento de Água.Este trabalho tem por objetivo caracterizar e avaliar os efeitos da incorporação deste do resíduo de ETA em corpos de cerâmica vermelha.Metodologia: Os resíduos foram caracterizados por meio de difração de raiosX, análise térmica diferencial e termogravimétrica, microscopia ótica, microscopia eletrônica de varredura, peneiramento e sedimentação. Foram realizadas incorporações dos três tipos de resíduos na massa cerâmica argilosa nas quantidades de: 0, 3, 5, 7 e 10% em peso. Para a determinação das propriedades físicas e mecânicas tais como retração linear, absorção de água e compressão diametral, foram confeccionados corposdeprova cilíndricos (diâmetro de 20,10 mm) por prensagem uniaxial a 18 MPa. Os corposdeprova foram queimados em forno tipo mufla a 2 °C/min, a temperatura máxima de 700 °C.Resultados: A constituição dos lodos de ETA é basicamente de partículas argilosas, siltosas, arenosas e, também, de matéria orgânica, que são materiais encontrados nas argilas que se constituem nas principais matériasprimas para a cerâmica vermelha. Em geral, incorporações em teores superiores a 5% prejudicam as propriedades tecnológicas dos corpos cerâmicos, porém o resíduo de desarenador apresentou excelentes resultados de redução da absorção de água e retração linear dos corpos, revelando seu potencial de incorporação.Conclusões: Estes trabalhos indicam que a incorporação de lodos de ETA deve ser realizada em pequenas quantidades para não prejudicar as propriedades físicas e mecânicas da cerâmica queimada. Foi observado ainda que, por meio de ensaio de solubilização, a cerâmica em geral inertiza os constituintes tóxicos e perigosos eventualmente presentes no lodo.