CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DE SOLOS DE MATA ATLÂNTICA EM UMA BACIA DE DRENAGEM (RIO IMBÉ – LAGOA DE CIMA (RJ))

  • Hudson de Macedo Lemos
  • Paulo Pedrosa
Palavras-chave: Bacia de drenagem, Solo de Mata Atlântica, Parâmetros físicoquímicos

Resumo

Considerando a circulação de solutos nos ecossistemas através do ciclo hidrológico, esse estudo tem como objetivo caracterizar parâmetros físico-químicos liberados em meio aquoso por solos de Mata Atlântica, localizados em uma bacia de drenagem (rio Imbé – Lagoa de Cima). Para a realização do estudo, foram coletadas cinco amostras compostas de solo superficial (<20 cm). As amostras foram aliquotadas considerando um sistema de múltiplas razões sólido:água, no qual 15, 30, 45, 60, 75, 90, 105, e 120 g de solo previamente homogeneizado foram incubados por um período de 24-h em água ultrapura Milli-Q (ca. 200 mL). Sequencialmente, cada sistema sólido:água foi centrifugado (5000 rpm/20 minutos) e filtrado a uma pressão de vácuo <250 mm Hg em membrana <0,2 Mm. Os parâmetros físico-químicos, condutividade elétrica (MS cm- 1) e pH, foram mensurados mediante uso de equipamentos potenciométricos. A alcalinidade foi determinada por titulação acidimétrica adicionando-se HCl 0,01N num volume de 15mL de amostra. De um modo geral, os resultados referentes ao pH indicaram uma consistente influência ácida dos solos amostrados na água Milli-Q — cujo valor médio foi igual a 5,7±0,09 —, com valores entre 4,1 e 5,6. No que se refere à condutividade elétrica, os valores variaram entre um mínimo de 96,1 MS cm-1 e um máximo de 274,2 MS cm-1. Individualmente, foi possível verificar uma consistente correlação negativa entre estas variáveis para todos os pontos, com valores de r variando entre -0,57 e -0,94. Esse comportamento  ssociativo indica uma coliberação de íons H+ e eletrólitos; possivelmente, refletindo uma facilitação do meio ácido à lixiviação de outros íons. As médias de alcalinidade, por sua vez, foram todas negativas, entre -3,05 e -0.36 MEq L-1, sugerindo um possível efeito de troca catiônica, no qual cátions básicos são assimilados pelo sistema radicular da biota vegetal e íons H+ liberados para o solo. Coerentemente, houve uma forte correlação positiva entre as médias de pH e alcalinidade (R²=0,95). Esses dados referenciam dados físico-químicas em solos de Mata Atlântica, os quais são importantes componentes da paisagem local.