CHUVA DE SEMENTES EM PLANTIOS ABANDONADOS DE EUCALIPTO E EM BORDA E INTERIOR DE UM FRAGMENTO DE MATA ATLÂNTICA NA RESERVA BIOLÓGICA UNIÃO

  • Lívia Oliveira de Souza
  • Maicon Sousa Mota Silvestre
  • Marcelo Trindade Nascimento
Palavras-chave: Chuva de sementes, Regeneração natural, Restauração

Resumo

A investigação da chuva de sementes pode fornecer informações relevantes sobre a dinâmica florestal, a regeneração natural e o papel das populações arbóreas no recrutamento de indivíduos após perturbação. O objetivo deste estudo é caracterizar o aporte, a sazonalidade, a composição e os mecanismos de dispersão da chuva de sementes em áreas de plantio de eucalipto abandonados e em borda e interior de um fragmento florestal, inferindo no potencial de restauração natural da floresta. Foram instalados 40 coletores de 0,49m2 cada, distribuídos por 8 parcelas de 0,1ha, destas, 4 foram alocadas na borda e 4 no interior da mata. Outros 10 coletores foram instalados de modo semelhante no PV e no PJ, e distribuídos 2 por parcela de 200m2. As coletas foram realizadas de out/02 a abr/03 na mata e de out/04 a abr/05 nos plantios e encontram-se secas para triagem. Os diásporos estão sendo identificados por especialistas e classificados quanto à síndrome de dispersão, hábito e tipo funcional. Os valores de diversidade, riqueza e similaridade de espécies foram calculados, assim como os parâmetros fitossociológicos de caráter absoluto e relativo de abundância, freqüência e densidade. Foram realizadas 24 coletas, sendo 16 nos plantios e 8 na mata. Todas coletas desse período já foram triadas. Os coletores receberam 4464 sementes, sendo 2394 no PV, 110 no PJ, 1399 na borda da mata e 561 no interior da mata, distribuídas entre 206 morfo-espécies. A abundância de diásporos e, por conseguinte, a densidade média de sementes nos plantios foi maior que a da mata. Porém, nos plantios foi observado um predomínio de diásporos anemocóricos, e enquanto na borda ocorreu predomínio de anemocórica e zoocórica e no interior de zoocórica. A matriz herbácea/arbustiva parece estar contribuindo para a maior ocorrência de anemocoria nos plantios e borda da mata. O possível papel repelente do eucalipto para a fauna dispersora pode estar contribuindo para a baixa ocorrência de sementes zoocóricas.