CRIOPRESERVAÇÃO DE EMBRIÕES ZEBUÍNOS PRODUZIDOS IN VITRO PELA TÉCNICA DA VITRIFICAÇÃO COM REDUÇÃO ARTIFICIAL DA BLASTOCELE

  • Felipe Borges Rosa
  • Bruno Pena Carvalho
  • Angelo José Burla Dias
Palavras-chave: Blastocisto, Criopreservação, Bovino

Resumo

A criopreservação de embriões e gametas é pré-requisito básicos para a estocagem de material genético por períodos prolongados. Atualmente o grande desafio neste campo tem sido a criopreservação de embriões zebuínos produzidos in vitro. Uma alternativa para criopreservar estes embriões é a vitrificação. A blastocele pode prejudicar o resultado da criopreservação de embriões devido a grande quantidade de líquido em seu interior, aumentando assim a possibilidade de formação de cristais de gelo. O presente estudo teve como objetivo avaliar o efeito da ablação mecânica da blastocele de embriões zebuínos produzidos in vitro, antes da vitrificação. Ovócitos obtidos de ovários oriundos de matadouros foram maturados, fertilizados e cultivados in vitro. Os blastocistos foram submetidos a ablação mecânica da blastocele por meio de uma incisão com auxílio de uma microlâmina, com auxílio de estereomicroscópio (40x). Foram vitrificados em solução de etilenoglicol (20%) e DMSO (20%), em palhetas OPS. Após a desvitrificação e cultivo in vitro por 48 h, será determinada a taxa de eclosão e a quantificação de células íntegras e lesadas, pela marcação dupla com laranja de acridina e iodeto de propídio. Até o presente momento foram vitrificados 60 embriões, divididos aleatoriamente entre o tratamento controle e aqueles que sofreram a ablação da blastocele. Melhorias nas taxas de sobrevivência embrionária após a desvitrificação poderão contribuir para incorporar esta importante ferramenta do melhoramento genético à produção comercial de embriões, de forma viável e econômica.