DESIGUALDADE DE RENDA E OPORTUNIDADE EDUCACIONAL COMO FATOR GERADOR DE DESIGUALDADE SOCIAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

  • Raquel Ferreira Rangel Gomes
  • Marlon Gomes Ney
Palavras-chave: Desigualdade de renda, Desigualdade educacional, Desigualdade racial

Resumo

Com um índice de Gini para a distribuição da renda familiar per capta em 0,56, o Brasil continua ocupando posição de destaque internacional como uma das sociedades mais desiguais do mundo. É certo que a desigualdade não tem um só determinante, suas causas são variadas e complexas. Ressaltaremos os fatores cujos efeitos sobre a desigualdade são de maior relevância. A evidência empírica sugere que a educação é a variável de maior poder explicativo para a desigualdade brasileira. E é sobre essa variável que nos debruçaremos. A base de dados utilizada na pesquisa será PNAD de 2006. A variável a ser estudada será então a renda domiciliar per capta. Será então realizado um estudo sobre o perfil educacional da população adulta de todo o estado assim como também da sua identificação étnica. O modelo de aquisição de educação tem duas qualidades. A primeira é sua capacidade de apresentar, dentro de cada grupo, o grau de evasão escolar em diferentes níveis de ensino, contribuindo para o diagnóstico dos problemas de acesso à educação no país. A segunda qualidade do modelo é estimar a desigualdade de oportunidade na aquisição de qualquer nível de escolaridade. Os resultados da pesquisa ainda são poucos pois se trata de uma pesquisa recente. Mas de acordo com os dados foi possível demonstrar que a desigualdade social entre negros e brancos no Brasil não se deve somente a questões raciais, estas possuem sua relevância, entretanto, no que se refere à distribuição de renda, explicam menos de 10% da desigualdade entre brancos e negros. Uma variável de grande poder explicativo é o nível de escolaridade, principalmente o nível de escolaridade dos pais. Isso demonstra que uma divisão da sociedade entre grupos com níveis distintos de escolaridade continua a responder por entre um terço e metade da desigualdade total, mesmo levando em conta o efeito dessas pessoas terem cor e/ou gêneros diferentes, e trabalharem em setores e regiões distintas, com níveis de experiência particulares. Todas essas variáveis confirmam a proeminência da educação como determinante da renda familiar per capta do brasileiro. Edisso decorre a questão da desigualdade de oportunidade educacional.

Biografia do Autor

Raquel Ferreira Rangel Gomes