"DETERMINAÇÃO DA HIDROFOBICIDADE EM SOLOS DO NORTE FLUMINENSE SOB VEGETAÇÃO NATIVA

  • Gabriella Almeida Nogueira Linhares
  • Luciano Pasqualoto Canellas
  • Cláudio Roberto Marciano
Palavras-chave: Solo, hidrofobicidade, carbono orgânico

Resumo

A repelência à água ocorre em alguns solos, sendo geralmente causada por compostos resultantes da decomposição de resíduos vegetais. O grau de repelência em geral não está associado predominantemente ao teor de carbono orgânico do solo, mas sim à natureza das substâncias que compõem a matéria orgânica. Por serem coloidais, os compostos orgânicos recobrem a superfície das partículas primárias e agregados do solo, imprimindo-lhes suas características, entre elas a hidrofobicidade. Solos arenosos, por terem menor superfície específica, estão mais sujeitos a esse processo. O aquecimento também é um fator que pode potencializar o caráter hidrofóbico dos solos, pois leva à volatilização de compostos orgânicos e pode promover um recobrimento mais eficiente das partículas e agregados. O objetivo deste trabalho é caracterizar o grau de repelência à água de solos sob vegetação nativa, e identificar a natureza das substâncias orgânicas responsáveis por essa característica. Em perfis de solo sob vegetação nativa serão coletadas amostras representativas dos vários horizontes. O horizonte superficial, e também os subsuperficiais que demonstrem hidrofobicidade, será submetido a extrações seletivas de compostos orgânicos (apolares; hidrossolúveis e alcalinossolúveis). O extrato será submetido à análise espectroscópica, identificando-se a natureza dos componentes extraídos. Tanto a amostra de solo original quanto as resultantes dos processos de extração serão analisadas quanto ao teor de carbono orgânico total. Para a estimativa da repelência à água serão usados dois métodos. O primeiro é uma conjugação dos métodos de gotas de etanol e do tempo de penetração de gotas de água, cujo resultado leva a identificação de graus de hidrofobicidade não significante, muito baixo, baixo, moderado, severo e muito severo. O segundo é o daascensão capilar, que, por meio da avaliação das propriedades de molhamento do material do solo, permite determinar o ângulo de contato da água-solo.