DETERMINAÇÃO DO MÓDULO DE ELASTICIDADE EQUIVALENTE PARA UM COMPÓSITO DE RESINA EPÓXI REFORÇADO COM FIBRA DE VIDRO

  • Luciana Myuki Futigami Oki
  • Eduardo Atem de Carvalho
Palavras-chave: Módulo de elasticidade equivalente, Dutos de compósitos, Extensometria elétrica

Resumo

Peças fabricadas a partir de compósitos, tendo como matriz uma resina epóxi e como elemento de reforço fibras de vidro, são comumente encontrados nos diversos ramos da indústria seja na forma de placas, hastes e elementos de reforço, dutos e tubos ou mesmo geometrias mais complexas. Como toda a peça em uso, estas partes estão sujeitas à falhas ocasionadas por diversos fenômenos, desde os previsíveis tais como fadiga e sobrecarga até os aleatórios como colisões e incêndios. A determinação das propriedades mecânicas do material, como no caso, o Módulo de Elasticidade Equivalente (E*) serve para avaliar o seu desempenho em certas aplicações. Este trabalho determinou E* encontrado num tubo fabricado pela AMERON de matriz de resina epóxi reforçada com fibra de vidro, fornecidos pela Petrobras. Deste tubo foram retirados corpos de prova de dimensões 24,70 mm de largura, 8,35mm de espessura, e 133 mm de comprimento. As amostras foram cortadas com serra circular de disco fino, niveladas com uma fresadora e as rebarbas foram removidas com uma lixa de 600 mesh. Após estes processos foi realizada a limpeza de superfície visando à colagem de extensômetro elétrico. O teste de tração foi realizado na máquina universal INSTRON, de onde se obteve os dados necessários para a determinação desta propriedade. E* é a razão entre a tensão e a deformação, quando a deformação é totalmente elástica. Seu produto vezes o Momento de Inércia (I) é a medida de rigidez de um material. O valor obtido para esta propriedade situou-se como esperado, entre os valores de literatura para o material estudado, quando medidos longitudinais e transversalmente, porém estes resultados não devem ser considerados como valores absolutos uma vez que não se verificou a fração volumétrica das fibras, a direção das mesmas e o intercalamentoequivalente. Os valores das propriedades aqui apresentados correspondem ao comportamento das mesmas na temperatura ambiente. Nesta temperatura o comportamento do material aparenta estar de acordo com as especificações previstas pelo fabricante.

Biografia do Autor

Luciana Myuki Futigami Oki
OEMM/LAMAV – CCT – UENF
Eduardo Atem de Carvalho
OEMM/LAMAV – CCT – UENF
Publicado
23-12-2010