EFEITO DA RADIAÇÃO GAMA NA VIDA COMERCIAL DA CARNE OVINA

  • Hellen Silva de Azevedo
  • Juliana Barreto Nunes
  • Fábio da Costa Henry
Palavras-chave: Carne, Ovino, Radiação, Conservação, Salmonella

Resumo

O consumo da carne ovina tem aumentado principalmente as minimamente processadas livres de aditivos, um exemplo disto são os alimentos irradiados, que possuem diminuição da contaminação por microrganismos. O objetivo deste trabalho é avaliar a influência do processo de irradiação, utilizando duas doses (2kGy e 4kGy) na contagem de Staphylococcus coagulase positivo, Coliformes totais (NMP/g) e Coliformes fecais (NMP/g) da carne ovina. Foram escolhidas aleatoriamente 72 amostras de lombo ovino, embaladas a vácuo, sendo 24 irradiadas com 2 kGy e 24 irradiadas com 4 kGy. Os resultados das análises bacteriológicas (Staphylococcus coagulase positivo, Coliformes totais (NMP/g) e Coliformes fecais (NMP/g)) foram comparados pela ANOVA segundo o delineamento casualizado (DIC), seguido do teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade. Os resultados obtidos pelos valores da contagem de Staphylococcus coagulase foram positivos nas amostras controle, assim como para a contagem de Coliformes totais (NMP/g) e Coliformes fecais (NMP/g). Verificou-se que o processo de irradiação foi eficaz, diminuindo significativamente a microbiota das amostras irradiadas na dose de 2 kGy, o mesmo pode ser observado nas amostras irradiadas com 4 kGy, resultando na diminuição mais acentuada da microbiota. Verificou-se também, que a higiene em todas as etapas de manipulação, embalagem e posterior congelamento a –18 oC, foi decisivo para a conservação da carne de carneiro, demonstrando importância da irradiação na redução da contaminação. Conclui-se, com resultados parciais obtidos neste trabalho, que as amostras após serem irradiadas com 2kGy e 4 kGy apresentaram uma significativa diminuição na microbiota da carne ovina, aumentado assim o tempo de prateleira.

Biografia do Autor

Juliana Barreto Nunes