EFEITO DO TAMANHO DA TRILHA EM RELAÇÃO AO PESO DE FOLHAS CORTADAS E CARREGADAS POR OPERÁRIAS DE Acromyrmex subterraneus subterraneus (HYMENOPTERA: FORMICIDAE)

  • Gustavo Perisse
  • Denise Moreira
  • Richard Samuels
Palavras-chave: formigas cortadeiras, trilha, polimorfismo, Acromyrmesx subterraneus subterraneus

Resumo

A atividade de seleção, corte e transporte de fragmentos vegetais exercido por formigas cortadeiras é denominado “forrageamento”, onde cada espécie possui seu padrão e as operárias se orientam por trilhas marcadas quimicamente e/ou por trilhas fisicamente construídas. Entretanto, ainda não é conhecida a relação entre o tamanho e peso da formiga com o peso da folha cortada e carregada até o interior da colônia e se o comprimento da trilha tem interferência nesses fatores. O objetivo do presente estudo foi verificar o tamanho das operárias e o tamanho da carga cortada e carregada em relação ao comprimento da trilha percorrida. Nos bioensaios foram utilizadas duas colônias de A. subterraneus subterraneus, criadas na Unidade de Mirmecologia da UENF, onde eram  submetidas a temperatura e umidade controladas e mantidas em 12L:12E. Uma das colônias possuía uma trilha de forrageamento de 1m (F1) e a outra 15m (F2). Essas trilhas artificiais, constituíam de canos transparentes de 2 cm de diâmetro. Para cada colônia foram oferecidos 20 discos de 6 cm de diâmetro de folhas de Acalypha wilkesiana. As primeiras operárias que cortavam e transportavam as folhas eram coletadas na área de forrageamento e em um segundo momento, coletava-se as operárias que chegavam à colônia. Também foi avaliado se durante o carregamento das folhas pelas operárias, havia revezamento da carga. Foram feitas dez repetições para cada tratamento. Quinze operárias com suas cargas eram pesadas e suas cápsulas cefálicas medidas. Foi verificado que a colônia F1 apresentouoperárias de tamanhos e pesos mais uniformes em relação às operárias da colônia F2. Além disso, existe uma correlação entre o tamanho da trilha, peso da formiga e carga carregada. Quanto á analise de transporte de carga existe uma troca e revezamento de carga aparente na trilha de 15m podendo ser observado que no meio da trilha fragmentos de grande porte deixados pelas operarias que são divididos em fragmentos menores por outras operarias. Na colônia com cano de 1m o corte e transporte é feito pela mesma operárias em quase todo tempo, não existindo complexidade no transporte de cargas.  

Biografia do Autor

Gustavo Perisse
Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias - Laboratório de Entomologia e Fitopatologia – Campos/RJ.
Denise Moreira
Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias - Laboratório de Entomologia e Fitopatologia – Campos/RJ.
Richard Samuels
Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias - Laboratório de Entomologia e Fitopatologia – Campos/RJ.