ESTUDO DA MORFOLOGIA E DA ABSORÇÃO DE FILMES DE AMIDO DE MANDIOCA

  • Mariana Rodrigues de Mello
  • Mariana Rodrigues de Mello
  • Helion Vargas
Palavras-chave: AFM, rugosidade, coeficiente de difusão

Resumo

Os polímeros em geral possuem a vantagem de permitir manipulações químicas e físicas para adquirir diversas formas e propriedades, porém, a limitação no uso desses materiais encontra-se relacionada ao seu descarte. Isto, somado ao fato de que a matéria-prima utilizada para a produção dos polímeros convencionais se constitui de um recurso não renovável, tem levado à promoção de programas direcionados ao desenvolvimento de biomateriais que possam ser reabsorvidos pelo meio sem dano eminente. Filmes de amido de mandioca foram preparados e elaborados utilizando a solução contendo 3% de amido de mandioca e 0,30 g de glicerol /g amido. A solução foi aquecida em banho térmico com agitação constante e espalhada homogeneamente em placas de acrílico. A seguir, as placas contendo a solução foram secas em estufa. A permeabilidade a gases foi determinada utilizando uma montagem experimental e um porta-amostra desenvolvido para esse fim. O gás foi introduzido de um dos lados da amostra a uma pressão constante e conhecida e a concentração do gás que se difundiu através do filme foi medida. A topografia e a rugosidade dos filmes foram obtidas utilizando um AFM operado em condições ambiente. Medidas topográficas e de rugosidade foram realizadas em áreas de varredura de 40 x 40 ?m2 utilizando o AFM em filmes poliméricos tratados termicamente entre 50 oC e 10 oC e num polímero comercial. Essas medidas demonstraram que o polímero tratado termicamente à 10 oC é o que mais se assemelha ao polímero comercial. Nas medidas de coeficiente de difusão o filme polimérico apresentou um coeficiente de difusão para O2 igual a 1, 8080 x 10-11 cm2/s, entretanto, as medidas de coeficiente de difusão para CO2 evidenciaram a impermeabilidade do filme a esse gás. As análises morfológicas demonstraram que os filmes poliméricos de amido de mandioca a 10 °C apresentaram menor rugosidade e maior porosidade e as medidas de coeficiente de difusão demonstraram que os filmes são impermeáveis à CO2, tornando o seu uso como embalagem possível.