UMA A-GLUCOSIDASE DO FITÓFAGO DYSDERCUS PERUVIANUS APRESENTA ATIVIDADE DE AGREGAÇÃO DE HEME

  • Gabriela Calegario
  • Flávia Borges Mury
  • Marílvia Dansa de Alencar Petretski
Palavras-chave: Dysdercus peruvianus, Agregação de Heme, ?-glucosidase

Resumo

Dysdercus peruvianus é um Hemiptera fitófago. A ordem  emiptera caracteriza-se pela presença de membranas perimicrovilares que estão em contato direto com o bolo alimentar, e são responsáveis pela absorção de aminoácidos nesta espécie. A ?- glucosidase é a enzima marcadora destas membranas em R. prolixus e D. peruvianus. Este trabalho consiste em analisar a capacidade da ?-glucosidase de epitélio intestinal de D. peruvianus, de agregar heme in vitro e in vivo, e a dependência de pH deste processo. No teste de agregação de heme in vivo, os insetos foram alimentados com hemoglobina e dissecados para retirada do epitélio e conteúdo intestinais. No ensaio de síntese de agregados de heme foi feito controle com o conteúdo em tampão acetato de sódio, na presença de hemina. Para o ensaio in vivo incubou-se em tampão acetato de sódio, o conteúdo intestinal dos D. peruvianus alimentados com hemoglobina, por 24h a 28 0C . As análises dos agregados de heme foram feitas em espectrofotômetro a 400 nm. Na análise da dependência de pH foram dissecados 30 insetos e, a partir do epitélio intestinal, foi realizada extração protéica. 15 ?g do extrato foram incubadas em diferentes pHs (4,0-9,0). Os insetos que foram alimentados com hemoglobina apresentaram uma maior formação de agregados de heme quando comparados com insetos que estavam sob dieta natural (semente de algodão). Ao avaliarmos a contribuição do pH para a formação de agregados de heme in vitro verificamos que ocorreu uma maior formação de agregados de heme em pH 4,5. Este resultado está de acordo com os dados observados na literatura para Rhodnius prolixus e Plasmodium. De posse dos resultados sugerimos que D. peruvianus possui os fatores necessários à formação de agregados de heme similares aos descritos para R. prolixus, sugerindo uma pré-adaptação deste grupo de insetos à hematofagia.