ESTUDO GRÁFICO DO COMPORTAMENTO DA FUNÇÃO CONSTITUTIVA DE DIAS PARA DESCREVER O EFEITO DE POLARIZAÇÃO ELÉTRICA NAS ROCHAS

  • Gorki Pinheiro
  • Edivagner Ribeiro
  • Carlos A. Dias
Palavras-chave: Fenômeno IP, Modelo Dias, Análise gráfica

Resumo

Este trabalho situa-se na área do desenvolvimento teórico do método eletromagnético a multifrequência e tem por objetivo determinar, graficamente, o comportamento (unicidade e propriedades) da função constitutiva de Dias (2000) que, aparentemente, associa a presença do hidrocarboneto no reservatório a valores máximos do efeito de polarização combinado com os valores mais baixos da resistividade. Com o objetivo de analisar a influência dos quatro parâmetros (?, ?, ? e m) nos espectros de fase e amplitude da função Dias (2000), foram geradas curvas logxlog destes espectros para o intervalo de frequência [10-3,106]. Foram utilizados 9 valores diferentes para o parâmetro ? (Fração do comprimento de poro afetado), 8 para o parâmetro ? (parâmetro eletroquímico), 5 valores para o parâmetro m (cargabilidade) e 6 para o parâmetro ? (tempo de relaxação). Cada figura foi feita variando o valor de ? e mantendo-se fixos os demais, somando-se ao total, 240 figuras e 2160 curvas. Para tal utilizou-se o software MATLAB. Utilizou-se também um programa elaborado por Edivagner Ribeiro. A partir da análise dos espectros de fase e amplitude pôde-se observar a variação do formato das curvas. Isto possibilitou a catalogação das curvas em 11 famílias distintas. O critério utilizado foi semelhança gráfica. Posteriormente, foi analisada a influência de cada parâmetro nas curvas de cada família. Observou-se que a influência do parâmetro ? fica mais evidente nas altas frequências; que o parâmetro ? vem relacionado a valores de freqüência de ressonância (máximos de fase); o aumento do valor do parâmetro ? faz com que a condutividade diminua em cada frequência e que a frequência de ressonância aumente; já a cargabilidade altera significativamente o valor da amplitude da condutividade. Foi possível a separação das curvas em famílias que poderão ser utilizadas para diagnosticar a priori as características a partir de curvas experimentais para uma dada amostra. A função mostrou-se capaz de descrever alguns fenômenos observados em campo e em laboratório, além de mostrar bastante coerência com a teoria.