ESTUDO, PESQUISA E PRESERVAÇÃO DE ANIMAIS SELVAGENS

  • Saulo Tinoco de Lannes
  • Leonardo Serafim da Silveira
  • Luciana da Silva Lemos
Palavras-chave: Morfologia, Clínica Médica, Animais Selvagens

Resumo

Centro: CCTABolsa: IC - UENFO projeto em questão vem estudando os parâmetros clínicos, biológicos e morfológicos de animais selvagens e, o conhecimento gerado poderá ser utilizado para conservação e divulgação através de exposições publicas e livros didáticos. As análises clínicas representam importante ferramenta no diagnóstico de enfermidades, além de terem importância no controle sanitário de rebanhos produtores. A associação dos resultados com a avaliação clínica do paciente fornecem subsídios para a geração de prognósticos clínicos e conclusões diagnósticas a respeito de uma série de patologias. Os animais vindos a óbito são assepticamente necropsiados por técnica padrão de abertura, de acordo com a espécie. As amostras provenientes das biópsias ou necropsias são estocadas em formol tamponado neutro a 10% e processadas pelo método de inclusão em parafina, cortadas em micrótomo semi-automático em 5?m e coradas pela Hematoxilina e Eosina. As fotomicrografias são obtidas e documentadas em máquina fotográfica digital, adaptada em microscópio óptico e, se necessário, outros métodos histológicos especiais são empregados. Os laudos são elaborados de forma extremamente criteriosa, valorizando todas as alterações observadas, correlacionando-as com possíveis alterações clínicas, valorizando-se toda a fisiopatologia em questão. Algumas das atividades que estão sendo realizadas, compreendem atuação junto ao Instituto Orca de Vila Velha, palestras em conjunto com o NEPAS, relatos de casos de patologias ainda não descritas, para auxiliar os clínicos em seus atendimentos e na confecção de laudos e um trabalho relacionado ao bem estar de animais silvestres encontrados em pet shops de Campos dos Goytacazes relacionando-os aos achados clínicos de animais selvagens atendidos nas dependências do Hospital Veterinário (UENF), além de traçar perfil dessas espécies e situação de animais comercializados. O intuito das práticas acima é desenvolver a clínica, técnicas semiológicas e quando se tratar de animais em cativeiro estimular a prevenção de doenças e acidentes desses animais, tendo a informação do proprietário o alvo principal. Todas essas atividades têm como objetivo a preservação das espécies silvestres existentes e conscientização da população para este fim.

Biografia do Autor

Luciana da Silva Lemos
Colaborador