EXPRESSÃO DESORDENADA DE RECEPTORES-? DE ESTRÓGENO (RE-?) E RECEPTORES DE PROGESTERONA (RP) EM ÚTEROS DE VACAS COM ADENOMIOSE

  • Bárbara Sabrina Gonçalves da Silva
  • Lio Moreira
  • Eulógio Carlos Queiroz de Carvalho
Palavras-chave: Adenomiose, Bovino, Imunoistoquímica

Resumo

A adenomiose é a localização de tecido endometrial no miométrio, considerado um distúrbio do crescimento celular benigno e estrógeno-dependente. Os distúrbios da receptividade uterina ao embrião podem representar uma via comum em muitos indivíduos com desordens do tipo estrógeno-dependente, e a ocorrência de RE-? no endométrio durante a fase lútea média pode ser considerada como um biomarcador. Propôs-se avaliar a expressão de RE-? e RP em úteros de vacas com adenomiose nas fases do ciclo estral. Amostras uterinas de 62 vacas, em idade reprodutiva, foram colhidas em matadouros e divididas de acordo com a fase folicular ou lútea (inicial ou média) e grau de adenomiose (superficial ou profunda). Seções teciduais (4?m) foram incubadas com anticorpo primário anti-RE-? (AER-311/314) e anti-RP (PgR-636) overnight a 4°C e evidenciados pelo método biotina-estreptoavidina-peroxidase-DAB. As intensidades de imunomarcação foram avaliadas por microscopia de luz branca, em 3 campos microscópicos, obedecendo o escore: (0) negativo; (+) fracamente positivo; (++) positivo e (+++) fortemente positivo. Os dados foram analisados pelo teste Kruskall Wallis e Mann-Whitney (? = 5%). As fases do ciclo estral estudadas, os RE-? revelaram ser mais intensamente expressos em úteros com adenomiose superficial e profunda. Na fase lútea média exibiu expressão de RE-? no parênquima e estroma endometriais, associados à expressão diminuída de RP no estroma endometrial e glândulas profundas, principalmente, nos espécimes com adenomiose profunda (P<0,05). A ocorrência de RE-? e ausência de RP no estroma do endométrio superficial, associada à elevada expressão de RE-? nas glândulas endometriais superficiais e profundas nos úteros com adenomiose profunda (P<0,05), na fase lútea média, sugerem distúrbio estrógeno-dependente em vacas, tal qual em mulheres. Os resultados mostraram que os RE-? e RP estão desregulados em úteros de vacas com adenomiose, mostrando uma anormalidade nas vias de sinalização dos receptores esteróides no endométrio, notadamente na adenomiose profunda, e estes podem ser usados como biomarcadores de um endométrio disfuncional.