EXPRESSÃO DIFERENCIADA DE METALOPROTEINASE DA MATRIZ-2 (MMP-2) E INIBIDOR TECIDUAL DE METALOPROTEINASE-2 (TIMP-2) EM ÚTEROS DE VACAS COM ADENOMIOSE

  • Flávia Lopes Barretto
  • Lio Moreira
  • Eulógio C. Queiróz de Carvalho
Palavras-chave: Adenomiose, Metaloproteinases, Vacas

Resumo

IntroduçãoA presença ectópica de tecido endometrial (glândulas e estroma) por entre as fibras miometriais caracteriza a adenomiose. Estudos indicam que esta alteração seja causada pelo desequilíbrio dos hormônios reprodutivos que regulam as MMPs e seus inibidores, responsáveis pela integridade da matriz extracelular (MEC). Este trabalho teve o intuito de caracterizar a expressão de MMP-2 e TIMP-2 em úteros de vacas normais e acometidas por adenomiose, nas fases do ciclo estral.MetodologiaAmostras uterinas de 58 vacas, em idade reprodutiva, foram colhidas em matadouros e divididas de acordo com a fase folicular ou lútea (inicial ou média) e grau de adenomiose (superficial ou profunda). Seções teciduais (4?m) foram incubadas com anticorpo primário anti-MMP-2 (Ab-4) e anti-TIMP-2 (Ab-5) overnight a 4°C e evidenciados pelo método biotina-estreptoavidina-peroxidase-DAB. As intensidades de imunomarcação foram avaliadas por microscopia de luz branca, em 3 campos microscópicos, obedecendo o escore: (0) negativo; (+) fracamente positivo; (++) positivo e (+++) fortemente positivo. Os dados foram analisados pelo teste Kruskall Wallis e Mann-Whitney (? = 5%).Resultados e discussãoNa fase folicular, a expressão de MMP-2 foi mais elevada nas amostras com adenomiose profunda (P<0,05), e excederam a expressão de TIMP-2 em quase todas as estruturas uterinas analisadas, nos casos de adenomiose profunda. O inverso foi registrado nas seções normais e com adenomiose superficial, onde a expressão de TIMP-2 excedeu a de MMP-2, na fase folicular. Na fase lútea inicial a reatividade de imunomarcação foi mais elevada para TIMP-2 na maioria das estruturas analisadas, enquanto que na fase lútea média, a expressão de MMP-2 tornou a se elevar e as de TIMP-2 permaneceram elevadas, principalmente nos espécimes com adenomiose superficial e profunda.ConclusõesConclui-se que: 1) na fase folicular, a expressão de MMP-2 é maior que a de TIMP-2 e, existe maior variação entre a expressão de MMP-2 e TIMP-2 do que na fase lútea e 2) a expressão de MMP-2 é maior em úteros de vacas acometidos por adenomiose profunda.