FORMAÇÃO DE PROFESSORES: O PODER DAS HISTÓRIAS NO CAMINHO DA “CONSTRUÇÃO DE SI”

  • Alcimere Maria da Mata Siqueira
  • Leny Cristina Azevedo
Palavras-chave: Formação, Professor, Cultura Escolar, Escolarização, Memória Escolar

Resumo

Este trabalho apresenta o diálogo entre a Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro e o Colégio Estadual “João Pessoa” no campo da formação de professores para as séries iniciais do ensino, que se realiza em Campos dos Goytacazes desde 2008. Essa experiência foi ampliada com o objetivo de refletir sobre o resgate das narrativas (auto) biográficas no processo de escolarização de jovens, futuros(as) professores(as), através de vivências em múltiplas linguagens expressivas e ainda, buscando compreender o(s) significado(s) de “ser professor” nas formas como os(as) alunos(as) incorporam e percebem nas práticas da cultura escolar o seu processo de formação profissional. As cartografias traçadas no percurso destas pesquisas apontam em direção ao redimensionamento de novos caminhos investigativos de forma a recuperar e registrar a memória desses estudantes, o que demanda a catalogação dos documentos coletados em 2008. Para se obter um quadro amplo e significativo, acerca das memórias escolares dos(as) educandos(as), optamos por uma metodologia qualitativa de pesquisa baseada na análise da história oral, estimulando a produção de conhecimentos advindos da práxis pedagógica, mediada pela postura crítica e reflexiva. A relevância científica e contribuição do projeto é a de investigar e recuperar aspectos históricos, culturais e políticos da trajetória da formação das alunas pesquisadas, enfatizando os relatos e a ressignificação das memórias escolares através da revisão bibliográfica sinalizada por vários autores da literatura especializada, que possibilitam novas compreensões das transformações históricas do processo de escolarização entrelaçado à escolha de carreira, principalmente no momento atual em que as pesquisas apontam para a precariedade do ensino nas séries iniciais bem como a escassez de professores para a educação. Espera-se com o projeto introduzir mudanças qualitativas na formação inicial docente, ancorando-se numa cultura pedagógica que envolva a reapropriação e reinterpretação daquilo que constitui a memória individual, social e as ações educativas, impulsionadas pelo diálogo com as raízes e esperanças da profissão docente.