IDENTIDADE DOS DOCENTES NORMALISTAS DOS ANOS 70 A 90 NO MUNICÍPIO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES

  • Camila Ribeiro Teodoro
  • Liéte de Oliveira Accácio
Palavras-chave: formação de professores, curso normal, profissão docente

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar a identidade, a formação, a escolha profissional, a trajetória e dificuldades encontradas no desempenho profissional e a trajetória dos alunos que se formaram nos anos 70 a 90 no atual Instituto de Educação Prof. Aldo Muylaert. Se os docentes de uma escola são despreparados, sem as condições de trabalho associado aos baixos salários, essa situação acaba revertendo num padrão de ensino cuja qualidade é inadequada e, conseqüentemente, os cursos de Magistério formarão os futuros professores normalistas com deficiências de sua prática profissional. Como procedimentos metodológicos adoto nesta pesquisa uma investigação de base histórica a partir do levantamento de publicações – teses, dissertações, livros, imprensa local (jornais, revistas), artigos, relatórios de pesquisa – e de entrevistas e questionários com a população analisada.Para traçar um perfil desse professor do Estado do Rio de Janeiro, foram realizados questionários, que foram analisados e cujas informações organizei em gráficos.As primeiras conclusões deste trabalho dizem respeito à afirmação de 8 pessoas (35%) sobre receber apenas um salário mínimo, fato que faz considerar ser uma profissão pouco procurada. Os baixos salários e as más condições de trabalho têm gerado uma desvalorização do professor.Essa situação se alterou radicalmente com a atual vinculação do status social ao nível de renda salarial. Para uma conclusão preliminar deste estudo utilizo uma frase que sintetiza a importância desta pesquisa: “esse tipo de pesquisa é o eixo norteador de todo o processo de formação da identidade docente”, uma frase de uma entrevistada que se formou no ano de 1982, no curso normal do atual Instituto de Educação Prof. Aldo Muylaert