IDENTIFICAÇÃO DE EPÍTOPOS IMUNODOMINANTES NA PROTEÍNA BFPA DO FEIXE DE PILI DE ESCHERICHIA COLI ENTEROPATOGÊNICA (EPEC)

  • Hugo Gonçalves Riter
  • Enrique Medina-Acosta

Resumo

A proteína BfpA é a principal subunidade dos feixes de pili de EPEC típica. A região Nterminal da BfpA está voltada para o interior dos filamentos e o seu domínio C-terminal está exposto e acessível à interação e reconhecimento por anticorpos. O objetivo deste projeto é determinar a prevalência de IgG e IgA para as regiões N- e C- terminais da BfpA em soros de crianças, visando à identificação de epítopos imunodominantes. Esses epítopos servirão como base para o desenvolvimento de imonobiológicos. As regiões N- e C- terminais da BpfA serão expressas em forma recombinante e testadas como reagentes de captura para IgG e IgA em ensaios de Western blotting e ELISA a fim de determinar a prevalência da reatividade em 100 soros de crianças < 2 anos de idade. Dados preliminares baseados na região N-terminal recombinante demonstraram que essa região é reconhecida por IgG e IgA séricas. A reatividade dos soros perante a região N-terminal foi equivalente à reatividade observada para a proteína BfpA, indicando sua imunodominância. Os resultados sugerem que a região C-terminal, que está exposta nos pili, não possua epítopos imunodominantes. A ocorrência de epítopos imunodominantes na região N-terminal é um mecanismo eficaz de desvio da resposta imune protetora/neutralizadora, pois esses epítopos exibem conformação tridimensional que impede à sua exposição direta às respostas do sistema imune. Portanto, os anticorpos contra a região N-terminal não devem ser protetores. Para afinação das regiões imunodominantes serão utilizados peptídeos sintéticos correspondentes a possíveis epítopos B e a região C-terminal.