INCIDÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS EM FUNÇÃO DE COBERTURAS MORTAS VEGETAIS

  • Rosely Menezes da Silva
  • Silvério Paiva Freitas
  • Gloria Cristina da Silva Lemos
Palavras-chave: Cobertura morta, Planta daninha, Solo

Resumo

Introdução - Cultivo mínimo e cobertura morta são técnicas do sistema de plantio direto de interesse ao controle de plantas daninhas, para o qual destacam-se os estudos fitossociológicos. Este trabalho objetivou avaliar o efeito de diferentes coberturas mortas vegetais sobre a incidência de plantas daninhas e sua influência sobre a temperatura do solo a 30 cm de profundidade. Materiais e Métodos - Coberturas mortas (16 L), de alpinia (ALP), de casca de café (CC), de bagaço de cana (BC), de capim elefante (CE), e testemunhas com capina (TC) e sem capina (TS), constituíram os tratamentos aplicados em 1,20 m2 na UAP/CCTA/UENF, com 4 repetições, sob delineamento de blocos casualizados, verificando-se a temperatura do solo monitorada à 30 cm de profundidade 3 vezes por semana durante 60 dias. As espécies de plantas daninhas foram coletadas antes da implantação (0AIE), aos 30 dias (30AIE) e aos 60 dias (60AIE) após implantação do experimento, para determinação da biomassa, da freqüência (Fr), densidade (Dr), dominância (DoR) e índice de valor de importância (IVI). Resultados e Discussão - Os parâmetros fitossociológicos avaliados aos 30 e 60 dias, indicaram que das 18 espécies de plantas daninhas identificadas Cyperus rotundus foi a que apresentou os maiores índices de valor de importância, de freqüência, de densidade e de dominância relativa, em todos os tratamentos e períodos avaliados, seguido por Rottboellia exaltata. A CC foi o tratamento que apresentou maior temperatura do solo, enquanto ALP e CE apresentaram as menores temperaturas de solo e melhor eficiência no controle das plantas daninhas nos dois períodos levantados. Conclusões - Cyperus rotundus apresentou os maiores IVI, Fr, Dr e DoR, em todos os tratamentos. A CC apresentou maior temperatura do solo, enquanto ALP e CE apresentaram as menores temperaturas de solo e melhor eficiência no controle das plantas daninhas em todos os períodos.