INFLUÊNCIA DA VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO NO DESEMPENHO DE UMA SEMEADORA-ADUBADORA DE TRAÇÃO ANIMAL NO NORTE FLUMINENSE

  • Delorme Correa Junior
  • Ricardo Ferreira Garcia
  • José Francisco Sá Vasconcelos Júnior
Palavras-chave: Plantio direto, Espaçamento entre sementes, Patinagem

Resumo

Semeadoras de tração animal trabalham em praticamente qualquer terreno, possuem capacidade operacional baixa, variando conforme a utilização e adaptam-se ao sistema de semeadura direta. Sofreram poucas melhorias ao longo dos anos e poucos dados técnicos são disponíveis. Visando propor uma metodologia para avaliar seu desempenho e sugerir melhorias, avaliou-se o desempenho da semeadora utilizando diferentes velocidades sobre o espaçamento, profundidade e patinagem do rodado no Norte Fluminense. Conduziu-se o experimento na UAP do CCTA na UENF em Campos, RJ. A semeadora Mafrense de plantio direto, com deposição de sementes e adubo, roda motriz de raio 15,5 cm, foi regulada para dosar 5,7 sementes por metro. Utilizou-se trator John Deere 5705 com 5 velocidades: 1,0; 1,4; 1,6; 2,3 e 3,2 km h-1, segundo o DBC com 5 repetições. Avaliou-se 3 variáveis: espaçamento e profundidade, medindo 1m a cada repetição onde as sementes foram desenterradas e avaliadas sua disposição horizontal e vertical; na patinagem, o espaço percorrido da roda da semeadora em 4 voltas completas foi comparado por número de voltas em situação de trabalho, com carga, sem patinagem ou sem carga. As variáveis aleatórias estudadas foram o espaçamento entre sementes (cm), profundidade de semeadura (cm) e patinagem do rodado da semeadora (%). Após o ensaio, observou-se que, para o nível de significância de 5% e pelo teste F, a velocidade não teve efeito significativo na patinagem do rodado da semeadora, somente teve efeito significativo no espaçamento entre sementes e na profundidade de semeadura. No trabalho, observou-se espaçamento entre sementes de 17,4 cm em todas as velocidades, enquanto que a profundidade observada foi de 3,8 cm. A semeadora obteve índice de patinagem com média de 11% em todas as velocidades, variando conforme o aumento das velocidades. A semeadora-adubadora obteve espaçamento entre sementes, profundidade e patinagem do rodado aceitáveis. A regulagem interfere no número de sementes depositadas e na profundidade. O conhecimento destes dados são importantes para otimizar a atividade, comprovando a relevância deste trabalho.