Avaliação da eficiência das Wetlands Naturais no pós-tratamento do lixiviado no aterro sanitário da Caximba, Curitiba, PR, Brasil

  • Thaís Lopes Cavalheiro
  • Ana Maria Pereira Barreto Amorim
  • Karla Heloise Preussler
  • Leila Teresinha Maranho
Palavras-chave: Chorume. Fitorremediação. Banhados. Macrófitas aquáticas.

Resumo

A crescente geração de resíduos sólidos pela população, bem como seu mau gerenciamento implica em sérios problemas ambientais. Um desses problemas oriundos da disposição dos resíduos é a produção de lixiviado rico em matéria orgânica e inorgânica, que somado às águas das chuvas produzem um fluxo de percolado que é um potencial contaminante do ambiente. Métodos convencionais são utilizados em aterros sanitários para que seja feito um tratamento anterior ao lançamento nos corpos receptores, porém os métodos convencionalmente utilizados não são eficientes na remoção dos poluentes, não atingindo os padrões exigidos na legislação. Faz-se, portanto, necessário um póstratamento para que essa carga poluidora possa ser reduzida. Uma alternativa que têm se mostrado eficiente quanto à remoção dos contaminantes do lixiviado é o método de fitorremediação por meio de sistemas de wetlands (banhados). Estas áreas funcionam como sumidouros para nutrientes e outras substâncias, reduzindo a eutrofização e contaminação de ecossistemas próximos. Em vista dessas propriedades, o presente estudo avaliou a eficiência do pós-tratamento empregado no Aterro Sanitário da Caximba, Curitiba, PR, Brasil, a partir de um sistema composto por três wetlands naturais. O pós-tratamento apresentou resultados expressivos de eficiência na remoção de contaminantes como: DBO, DQO, Nitrogênio Amoniacal e Total, Sólidos Dissolvidos Totais e Sólidos Totais, Nitrito, Nitrato, Fósforo Total e óleos e graxas, com valores de eficiência média total do sistema que ultrapassaram 50%, por meio da fitorremediação, sendo que as espécies de macrófitas mais atuantes nesse processo foram Eichhornia crassipes e Echinochloa polystachya. Pode-se afirmar que o sistema empregado se mostrou uma alternativa viável que pode ser combinada ao tratamento do lixiviado.

Biografia do Autor

Thaís Lopes Cavalheiro
Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Positivo.
Ana Maria Pereira Barreto Amorim
Graduação em Ciências Biológicas, Universidade Positivo.
Karla Heloise Preussler
Doutorado em Engenharia Civil. Analista Ambiental da Universidade Positivo.
Leila Teresinha Maranho
Doutorado em Engenharia Florestal. Coordenação do Mestrado em Biotecnologia Industrial da Universidade Positivo.