Impactos negativos, positivos e propostas mitigadoras em bacias hidrográficas: estudo de caso da BH da Lagoa Imboassica (Macaé-RJ)

  • Rachel Freita Barcellos dos Santos
  • Maria Inês Paes Ferreira
Palavras-chave: Bacia Hidrográfica da Lagoa Imboassica. Impactos ambientais. Unidades de Conservação.

Resumo

A BH da Lagoa Imboassica, localizada entre os municípios de Macaé e Rio das Ostras (RJ) vem sofrendo diferentes tipos de intervenções ao longo dos últimos 40 anos, que corroboraram em inúmeros impactos ambientais negativos e positivos para a mesma. Nesse contexto, o objetivo dessa revisão é apontar os impactos sofridos pela BH da lagoa, assim como os impactos positivos e investimentos realizados para a melhoria da qualidade ambiental da BH, e as propostas mitigadoras em discussão atualmente pelo poder público. Os resultados dessa revisão apontam que os principais impactos negativos verificados foram: (i) o lançamento de efluentes sem tratamento; (ii) assoreamento da BH; (iii) desmatamento; e (iv) aberturas artificias da barra da lagoa. Como impactos positivos podem-se destacar a implantação da Estação de Tratamento de Esgoto na região e os investimentos com relação ao monitoramento ambiental da BH. Como conclusão ratifica-se a proposta de criação de uma Unidade de Conservação na BH como uma importante alternativa para mitigação dos impactos e para a conservação da lagoa em questão e poderá promover o aporte de recursos financeiros de compensação ambiental oriunda do licenciamento de empreendimentos potencialmente poluidores, conforme estabelecido pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação.

Biografia do Autor

Rachel Freita Barcellos dos Santos
Bióloga, Mestranda em Engenharia Ambiental pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental (PPEA) do Instituto Federal Fluminense.
Maria Inês Paes Ferreira
D.Sc. em Ciência e Tecnologia de Polímeros, IMA/Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora do Instituto Federal Fluminense