Avaliação da demanda de cloro para oxidação da cianobactéria Cylindrospermopsis raciborskii

Palavras-chave: Demanda de cloro, Cylindrospermopsis raciborskii, Cloro gasoso, Método colorimétrico

Resumo

O presente estudo teve como objetivo quantificar o cloro residual livre presente nas amostras e avaliar quais doses apresentam conformidade   com   o   estabelecido pela Portaria da Consolidação. Para o desenvolvimento  do  estudo,  utilizou- se a cianobactéria Cylindrospermopsis raciborskii,  recorrente  nas   florações nos mananciais brasileiros. O oxidante escolhido foi o cloro gasoso, devido ao baixo custo e fácil manuseio. As análises foram feitas para as densidades 1,0 x 104 e 1,0 x 106 células.mL-1 e para os tempos de contato 30 min e 24 h. Os resultados obtidos demonstraram um elevado consumo de cloro e, consequentemente, baixa concentração de cloro residual livre.        

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlia Araújo Camargo, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharela em Ciência e Tecnologia; Bacharelanda em Engenharia Civil pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/ MG – Brasil. E-mail: camarggo.julia@gmail.com.
Daniela Rocha Cordeiro, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharela em Ciências e Tecnologia; Bacharelanda em Engenharia Civil pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/ MG – Brasil. E-mail: danyella-rc@hotmail.com.
André de Araújo Pontes, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharel em Ciência e Tecnologia; Bacharelando em Engenharia de Produção pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/MG – Brasil. E-mail: userandrearaujo@gmail.com.
Letícia Silva Filgueiras, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharela em Ciência e Tecnologia; Bacharelanda em Engenharia Civil pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/ MG – Brasil. E-mail: leticia-filgueiras@hotmail.com.
João Victor Ferreira de Farias, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharel em Ciência e Tecnologia; Bacharelando em Engenharia Civil pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/ MG – Brasil. E-mail: joaovictor_126@hotmail.com.
Núbia Aparecida de Aguilar, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharelanda em Ciência e Tecnologia pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/MG – Brasil. E-mail: nubiaaguilar@outlook.com.br.
Marcelo Bredoff Azevedo, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharelando em Ciência e Tecnologia pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/MG – Brasil. E-mail: marcelo.bredof@gmail.com.
Ana Flávia de Assis Ferreira, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharela em Ciência e Tecnologia; Engenheira Civil pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/MG – Brasil. E-mail: anaflavia.assisf@gmail.com.
Iago Prado Cardoso, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Bacharel em Ciência e Tecnologia; Engenheiro Civil; Engenheiro Hídrico pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/ MG – Brasil. E-mail: iagopradocardoso@gmail.com.
Elton Santos Franco, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Doutor em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor/Pesquisador no Instituto de Ciência, Engenharia e Tecnologia (ICET) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/MG – Brasil. E-mail: elton.santos@ufvjm.edu.br.
Ana Cândida Araújo e Silva, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora/Pesquisadora na Faculdade de Medicina (FAMMUC) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/MG – Brasil. E-mail: ana.candida@ufvjm.edu.br.
Layde Dyana Sierau, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Especialista em Ensino de Ciências por Investigação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Técnica de laboratório na Faculdade de Medicina (FAMMUC) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/MG – Brasil. E-mail: layde.sierau@ufvjm.edu.br.
Luciene Alves Batista Siniscalchi, Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras/MG
Doutora em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora/Pesquisadora no Departamento de Recursos Hídricos e Saneamento da Universidade Federal de Lavras (UFLA) – Lavras/MG – Brasil. E-mail: luciene.batista@ufla.br.
Izabel Cristina Marques, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri, Teófilo Otoni/MG
Mestre em Ciência Florestal pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Campus JK. Professora/ Pesquisadora no Instituto de Ciência, Engenharia e Tecnologia (ICET) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) Campus do Mucuri – Teófilo Otoni/MG – Brasil. E-mail: izabel.marques@ufvjm.edu.br.
Aurelia de Cassia Ferreira Hespanhol, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG), Belo Horizonte/MG
Especialista em Inglês pelo ALCC – Nova Iorque – USA. Professora de Língua Portuguesa e Língua Estrangeira Moderna Inglês em Escolas Estaduais – Belo Horizonte/MG – Brasil. E-mail: aureliadecassia@gmail.com.

Referências

ABREU, V. A. C. et al. Genomic and Genotypic Characterization of Cylindrospermopsis raciborskii: Toward an Intraspecific Phylogenetic Evaluation by Comparative Genomics. Frontiers in Microbiology, v. 9, 2018.

ARAGÃO, N. K. C. V. Taxonomia, distribuição e quantificação de populações de cianobactérias em reservatórios do estado de Pernambuco (Nordeste do Brasil). 2011. 159 f. Dissertação (Mestrado em Botânica) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Departamento de Biologia, Recife, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Cianobactérias/Cianotoxinas: procedimentos de coleta, preservação e análise. Brasília, 2015. 106 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria de Consolidação n. 5, de 28 de setembro de 2017. Consolidação das normas sobre as ações e os serviços de saúde do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, 3 out. 2017. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prc0005_03_10_2017.html. Acesso em: 9 maio 2018.

BRIAND, J. F. et al. Cylindrospermopsis raciborskii (Cyanobacteria) invasion at mid-latitudes: selection, wide physiological tolerance or global warming. Journal of Phycology, v. 40, n. 2, p. 231-238, 2004.

CAMARGO, J. A. et al. Análise do consumo de cloro para oxidação da espécie de cianobactéria Microcystis aeruginosa. Vértices, Campos dos Goytacazes, v. 20, n. 2, p. 213-223, maio/ago. 2018.

FERNANDES, S. S. Biodisponibilidade de Cianotoxinas em Bivalves. 2008. 51 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia Aplicada) – Faculdade de Ciências, Departamento de Zoologia-Antropologia, Universidade de Porto, 2008.

FRANCO, E. S. Avaliação da formação de trialometanos e ácidos haloacéticos decorrentes da cloração de águas de abastecimento contendo cianobactérias. 2018. 244 f. Tese (Doutorado em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Engenharia, Belo Horizonte, 2018.

FREITAS, M. S. Remoção de microcistinas e saxitoxina por meio de oxidação com hipoclorito de sódio: Avaliação em escala de bancada. 120 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia Ambiental e Recursos Hídricos) - Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. FUNASA. Cianobactérias tóxicas na água para consumo humano na saúde pública e processos de remoção em água para consumo humano. Brasília, 2003. 56 p.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE. FUNASA. Manual de Cloração de Água em Pequenas Comunidades: Utilizando o Clorador Simplificado Desenvolvido pela Funasa. Brasília, 2014. 45 p.

JACINAVICIUS, F. R. et al. Manual para Cultivo de Cianobactérias. São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Instituto de Botânica, Núcleo de Pesquisa em Ficologia, 2013. 32 p.

LAGOS, N. et al. The first evidence of paralytic shellfish toxins in the freshwater cyanobacterium Cylindrospermopsis raciborskii, isolated from Brazil. Toxicon, n. 37, p. 1359-1373, 1999.

LEÃO, V. G. Água Tratada: Formação de Trialometanos pelo uso de cloro e os riscos potenciais à saúde pública em cidades da mesorregião do leste rondoniense. 131 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

LI, H. et al. Behavior of Cylindrospermopsis raciborskii during coagulation and sludge storage – higher potential risk of toxin release than Microcystis aeruginosa?. Journal of Hazardous Materials, v. 347, p. 307-316, 2018.

LIN, L. et al. Algal removal from cyanobacteria-rich waters by preoxidation-assisted coagulation-flotation: Effect of algogenic organic matter release on algal removal and trihalomethane formation. Journal of Environmental Sciences, v. 63, p. 147-155, 2017.

MASTEN, S. Cylindrospermopsin: Review of toxicological literature. North Carolina, USA: National Institute of Environmental Health Sciences, 2000. 49 p.

MELCHER, P. S. Estudos morfológicos e de cianobácterias potencialmente tóxicas dos gêneros Cylindrospermopsis, aphanizomenon e raphidiopsis (Nostocales). 2007. 204 f. Tese (Doutorado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente) – Instituto de Botânica da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, São Paulo, 2007.

MÉTODOS alternativos de desinfecção da água. Programa de Pesquisas em Saneamento Básico. PROSAB. 1. ed. São Carlos: Rima Artes e Textos, 2001. 149 p.

MORAIS, A. S. Avaliação de técnicas convencionais de tratamento de água para consumo humano na remoção de cianobactérias e cianotoxinas e processos oxidativos para remoção de microcistinas. 2012. 159 f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2012.

NASCIMENTO, P. B. Cianobactérias como indicadoras de poluição nos mananciais abastecedores do Sistema Cantareira. 2010. 116 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

OLIVEIRA M. C. B.; MOLICA R. Cianobactéria invasora: aspectos moleculares e toxicológicos de Cylindrospermopsis raciborskii no Brasil. Revista Biotecnologia, Ciência e Desenvolvimento, v. 30, p. 82-90, 2003.

PADISÁK, J. Cylindrospermopsis raciborskii (Woloszynska) Seenayya et Subba Raju, an expanding, highly adaptative cyanobacterium: worldwide distribution and review of its ecology. Archives für Hydrobiologie, v. 4, p. 563-593, 1997.

PASCHOALATO, C. F. P. R. Efeito da pré-oxidação, coagulação, filtração e pós-cloração na formação de subprodutos orgânicos halogenados em águas contendo substâncias húmicas. 2005. 291f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil, área de concentração em Hidráulica e Saneamento) – Universidade de São Paulo, Escola de Engenharia de São Carlos, São Carlos, 2005.

PEREIRA, G. G. Remoção de células de Microcystis sp. por pré-cloração, coagulação, filtração direta e pós-cloração em escala de bancada. 2005. 95 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Hidráulica e Saneamento) – Universidade de São Paulo, São Carlos, 2005.

ROSARIO-ORTIZ, F.; SNYDER, S.; SUFFET, I. H. Characterization of dissolved organic matter in drinking water sources impacted by multiple tributaries. Water Research, v. 41, n. 18, p. 4115-4128, 2007.

SANT’ANNA, C. L. et al. Planktic Cyanobacteria from upper Tietê basin reservoirs, SP, Brazil. Revista Brasileira de Botânica, v. 30, n. 1, p. 1-17, 2007.

SANT’ANNA, C. L. et al. Review of toxic species of Cyanobacteria in Brazil. Algological Studies, v. 126, p. 249-263, 2008.

SENOGLES, P. et al. Degradation of the cyanobacterial toxin cylindrospermopsin, from Cylindrospermopsis raciborskii, by chlorination. Toxicon, v. 38, p. 1203-1213, 2000.

SIVONEN, K.; JONES, G. Cyanobacterial toxins. In: CHORUS, I.; BARTRAM, J. Toxic Cyanobacteria in Water: A Guide to their Public Health Consequences, Monitoring and Management. London: E & FN Spon, 1999. Cap. 3.

TUCCI, A.; SANT’ANNA, C. Cylindrospermopsis raciborskii (Woloszynka) Seenayya & Subba Raju (cianobactéria): variação semanal e relações com fatores ambientais em um reservatório eutrófico. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 97-112, 2003.

VIANA, M. Avaliação de técnicas de tratamento na remoção de saxitoxinas em águas de consumo humano. 2006. 212f. Dissertação (Mestrado em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Engenharia, Belo Horizonte, 2006.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. WHO. Guidelines for safe recreational water environments: coast and fresh waters. WHO, 2003. v. 1, 253 p.

YANG, X.; GUO, W.; SHEN, Q. Formation of disinfection byproducts from chlor(am)ination of algal organic matter. Journal of Hazardous Materials, n. 197, p. 378-388, 2011.

ZAMYADI, A. et al. Fate of toxic cyanobacterial genera from natural bloom events during ozonation. Water Research, n. 73, p. 204-215, 2015.

ZAMYADI, A. et al. Fate of toxic cyanobacterial cells and disinfection by-products formation after chlorination. Water Research, v. 46, p. 1524-1535, 2012.

Publicado
13-05-2020
Como Citar
CAMARGO, J. A.; CORDEIRO, D. R.; PONTES, A. DE A.; FILGUEIRAS, L. S.; FARIAS, J. V. F. DE; AGUILAR, N. A. DE; AZEVEDO, M. B.; FERREIRA, A. F. DE A.; CARDOSO, I. P.; FRANCO, E. S.; SILVA, A. C. A. E; SIERAU, L. D.; SINISCALCHI, L. A. B.; MARQUES, I. C.; HESPANHOL, A. DE C. F. Avaliação da demanda de cloro para oxidação da cianobactéria Cylindrospermopsis raciborskii. Revista Vértices, v. 22, n. 1, p. 111-122, 13 maio 2020.
Seção
Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##