Crise das democracias liberais: um futuro sem direitos? Elementos para uma perspectiva internacional acerca do projeto da extrema direita

Palavras-chave: Extrema direita, Democracia liberal, Fascismo

Resumo

Este artigo tem por objetivo apontar elementos para a compreensão da presente crise das democracias liberais, em especial dos direitos como seu componente fundamental. Busca-se recuperar a história em seu sentido político de construção do modelo predominante no Ocidente e destacar algumas explicações da crise como sendo a crise do componente “liberal”, ou seja, o de garantia dos direitos. Este “modelo” nunca se apresentou como materialidade completa para vastas parcelas da população mundial e mesmo dos estados centrais. A violação de direitos por parte dos Estados foi sempre uma permanência na modernidade capitalista. Diversos estados no “centro” e na “periferia” passaram por períodos nos quais tais violações são especificamente reconhecidas, a exemplo dos fascismos europeus e das ditaduras latino-americanas. No momento em que ascendem forças políticas antiliberais, descomprometidas com os direitos formalmente assegurados nas ordens estatais e internacional, cabe refletir acerca da relação que estabelecem com esse passado de violações massivas de direitos, apontando-se que a fragilidade das promessas consubstanciadas em direitos, inclusive pela incompletude dos processos de superação das graves violações do passado, está na base da crise da democracia liberal contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elidio Alexandre Borges Marques, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro/RJ
Doutor em Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas – Rio de Janeiro/RJ – Brasil. E-mail: elidioalexandre@yahoo.com.br.

Referências

CASTELLS, M. Ruptura: A crise da democracia liberal. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

COUTINHO, C N. Notas sobre Cidadania e Modernidade. In: Contra a Corrente. São Paulo: Cortez, 2000. p. 49-69.

HOBSBAWN, E. J. A Era dos Impérios. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

MANDEL, E. Sobre o Fascismo. Lisboa: Antídoto, 1976.

MOUNK, Y. O Povo Contra a Democracia. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

RANCIÈRE, J. O Ódio à Democracia. São Paulo: Boitempo, 2014.

TRAVERSO, E. The New Faces of Fascism: Populism and the Far Right. Londres: Verso, 2019.

Publicado
31-12-2020
Como Citar
MARQUES, E. A. B. Crise das democracias liberais: um futuro sem direitos? Elementos para uma perspectiva internacional acerca do projeto da extrema direita. Revista Vértices, v. 22, n. Especial, p. 687-705, 31 dez. 2020.
Seção
Dossiê Temático: "Violência de Estado e política social"